Chefe da McLaren diz que críticas são justas

Enquanto Michael Schumacher e a Ferrari comemoram a conquista de seis vitórias em sete provas, as equipes Williams e McLaren continuam quebrando a cabeça para dar fim à crise. "Estamos sendo criticados com razão, nossos pilotos não têm nada a ver com isso", admitiu Norbert Haug, chefe de motores da Mercedes, fornecedora da McLaren. Na Williams, os próprios pilotos se incluem na vergonhosa campanha da equipe. Uma semana depois de Juan Pablo Montoya bater em Michael Schumacher, no último domingo o colombiano chocou-se com o próprio companheiro de equipe, Ralf Schumacher - que provocou a saída do alemão e a entrada nos boxes do colombiano, que teve o carro reparado e terminou a prova na oitava posição. Apesar disso, Ralf amenizou: "Montoya dirige muito agressivamente, perto do limite. Estava muito perto, fechou e bateu em mim, mas não teve intenção." Sobre a possibilidade de chegar perto do irmão na competição, Ralf assinalou: "No início da temporada, todos achávamos que poderíamos brigar pelo título, mas estamos mais longe do que nunca."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.