Manu Fernandez/AP
Manu Fernandez/AP

Chefe da Mercedes cobra maior restrição a testes na F1

Ross Brawn diz que FIA precisa redefinir todos os testes e atividades das equipes

AE, Agência Estado

26 de junho de 2013 | 15h36

BRACKLEY - Após sofrer uma advertência na semana passada junto de sua equipe, o chefe da Mercedes, Ross Brawn, cobrou maior rigidez da Federação Internacional de Automobilismo (FIA) no controle dos testes durante a temporada da Fórmula 1.

Na semana passada, a Mercedes foi advertida e suspensa dos testes de novatos por ter participado de um teste de mil quilômetros com a Pirelli, entre os dias 15 e 17 de maio, no Circuito de Barcelona, na Espanha.

"Agora a FIA está analisando toda esta questão, não apenas neste caso em particular. As equipes têm feito filmagens em Idiada. Como você consegue me explicar isso?", questionou, referindo ao circuito de testes na Espanha.

"A questão dos testes, em geral, tem ficado fora de controle ao longo dos anos, e agora tem que ser corrigida. Todos nós precisamos de um cenário claro sobre o assunto para o benefício de todo mundo", afirmou, em entrevista a Autosport.

Para Brawn, esta é a oportunidade mais adequada para a FIA definir regras mais claras para evitar qualquer brecha no regulamento. "A FIA vai aproveitar o momento para redefinir todos os testes e atividades das equipes", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1MercedesRoss Brawn

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.