Chefe da Red Bull deixa disputa aberta na equipe

O chefe da Red Bull, Christian Horner, reafirmou nesta quinta-feira que não irá interferir na disputa entre seus dois pilotos pelo título da Fórmula 1. Assim, ele descarta utilizar o jogo de equipe no GP de Abu Dabi, no domingo, para eventualmente favorecer o australiano Mark Webber, que está em melhor posição do que o companheiro, o alemão Sebastian Vettel, na luta para definir o campeão da temporada.

AE, Agência Estado

11 de novembro de 2010 | 16h37

Webber está com 238 pontos no campeonato, com sete a mais do que Vettel. Mas ambos aparecem atrás do espanhol Fernando Alonso, da Ferrari, que lidera com 246. Diante desse cenário, a dupla da Red Bull poderia se ajudar para desbancar o rival e levar o título. Mas a determinação de Horner, respaldada pelo dono da Red Bull, é evitar o jogo de equipe.

"Vettel e Webber precisam, primeiro, terminar a corrida, afinal Alonso tem mais pontos que eles, mas um vai correr contra o outro. Não faria sentido pedir que não lutassem entre si, os dois têm chances de vitória", afirmou Horner, sem favorecer nenhum piloto. "Nós daremos o mesmo apoio aos dois, com o mesmo equipamento e as mesmas oportunidades."

Mas, apesar de não interferir na disputa, Horner disse acreditar no desprendimento de seus pilotos. "No limite, se um deles pode ser campeão e precisar da ajuda do outro, espero que os dois se lembrem que competem por uma grande equipe. Não duvido de que um será útil ao outro", afirmou o chefe da Red Bull, sem esquecer a diplomacia interna. "Ambos merecem o título."

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1GP de Abu DabiRed Bull

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.