Chefe da Renault diz que não há pressão sobre Nelsinho

Flavio Briatore reforça que mau resultado na estréia não é problema para o piloto brasileiro agora

Agência Estado

19 de março de 2008 | 10h41

O italiano Flávio Briatore, chefe da Renault, afirmou que Nelsinho Piquet não está sob pressão após a atuação ruim no GP da Austrália. O brasileiro teve problemas nos treinos livres, largou em 21.º, envolveu-se em acidente na largada e abandonou a prova com problemas mecânicos.Veja também: Blog do Livio: mais informações sobre a F-1 Classificação - Pilotos e construtores Calendário  Pilotos e Equipes"A corrida foi difícil para várias pessoas - tanto que apenas oito carros terminaram. Nelson teve um problema na parte traseira do carro, que foi danificada logo na largada. E ele largou bem, completou a primeira volta e 12.º", disse Briatore. "Ele é jovem e não há pressão. Vamos ver o que acontece na Malásia. Mas ele pode ficar calmo por enquanto", afirmou o dirigente.  Integrantes da Renault acreditam que Nelsinho deverá ter um pouco menos de dificuldades nos 5.543 metros do seletivo circuito malaio. "Já treinou aqui, ano passado, de Fórmula 1, e as características dotraçado são mais favoráveis." No caso de chuva, como prevê a meteorologia, Nelsinho pode se dar bem. Em 2006, no GP da Hungria de GP2, realizou seu melhor trabalho na competição. Em condição extremamente difícil, com chuva e pista mais escorregadia do normal, venceu as duas etapas do campeonato em que acabou vice. (com Livio Oricchio, do O Estado de S. Paulo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.