Thomas Peter/Reuters
Thomas Peter/Reuters

Fórmula 1 adia realização do GP da China para evitar epidemia de coronavírus

Prova seria disputada em abril e o intuito da organização é remarcar a corrida para outra data ainda neste ano

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2020 | 10h27

A organização da Fórmula 1 anunciou nesta quarta-feira o adiamento do GP da China para evitar a epidemia de coronavírus. A corrida seria realizada entre 17 e 19 de abril. A categoria ainda não anunciou uma data alternativa, mas prometeu que vai manter negociações com os promotores da corrida e monitorar a situação de saúde pública para avaliar a remarcação da prova no calendário.

A ideia do adiamento partiu da empresa promotora da prova, a Juss Sports Group, que encaminhou o pedido de adiamento para a Fórmula 1 após discussões com autoridades locais. "Todos nós estamos ansiosos para correr na China o mais rapidamente possível e desejamos a todos no país tudo de melhor durante esta fase difícil", informou a organização da categoria em comunicado.

Realizado desde 2004 na cidade de Xangai, o GP da China seria a quarta etapa do calendário desta temporada. O comando da categoria disse que tomou a decisão do adiamento para assegurar a saúde e a segurança dos funcionários, pilotos, chefes de equipe e torcedores. O objetivo é realizar a corrida em alguma outra janela deste ano, desde que a situação melhore.

Quem também tomou a mesma decisão da Fórmula 1 recentemente foi a Fórmula E. A categoria de carros elétricos correria na China em 21 de março, porém optou por adiar a etapa justamente por preocupação com o surto de coronavírus. Uma nova data ainda será definida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.