Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Chuva ajudou Red Bull em treino na Bélgica, diz Sebastian Vettel

Piloto alemão credita seu terceiro lugar no grid de largada do GP em Spa Francorchamps ao clima. Para ele, tempo seco não o ajudaria

Estadão Conteúdo

23 de agosto de 2014 | 16h05

Depois de sofrer com problemas no motor, na sexta-feira, Sebastian Vettel contou com a sorte no treino classificatório deste sábado. O alemão atribuiu o terceiro lugar no grid de largada do GP da Bélgica de Fórmula 1 à chuva que praticamente não deu trégua durante toda a sessão - o australiano Daniel Ricciardo vai sair em quinto.

"Hoje tivemos uma história completamente diferente de ontem. Hoje conseguimos completar mais voltas e acho que a chuva nos ajudou. Em pista seca, nós não conseguiríamos obter uma posição tão boa", admitiu o alemão. "Acho que estaremos um pouco mais competitivos em comparação a Mercedes na corrida deste domingo."

Vettel obteve o terceiro lugar do grid depois de sofrer bastante com o motor Renault de sua Red Bull na sexta. Logo na primeira sessão livre um problema elétrico afetou a unidade de potência do seu carro. Como resultado, percorreu apenas 11 voltas e não conseguiu entrar na pista no segundo treino livre.

Para piorar, o atual tetracampeão da Fórmula 1 passou a se preocupar com uma possível punição nas próximas etapas da temporada. Isso porque ele estreou na Bélgica, ainda na sexta-feira, seu quinto motor deste ano, justamente o que apresentou problemas na parte elétrica. E o atual regulamento da F1 só permite cinco motores por temporada para cada piloto.

Assim, é certo que Vettel terá que sofrer punição no futuro - perda de dez posições no grid de largada - quando terá que estrear um sexto motor. Deve acontecer daqui a três ou quatro corridas. A boa notícia para o piloto é que não será nesta etapa que sofrerá a sanção, porque os mecânicos da Red Bull conseguiram recuperar o motor utilizado na corrida anterior, na Hungria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.