Chuva forte marca 32º GP do Brasil

A chuva que ajudou a tornar o GP do Brasil um dos mais confusos em 32 edições já realizadas começou em Interlagos às 11 horas. Nesse instante, o diretor esportivo da Ferrari, Jean Todt, concedia entrevista coletiva no stand da Shell e procurou não perder a pose, mas seu ar de susto e desânimo, olhando pela janela, denunciava preocupação. "O tempo aqui é imprevisível, mas temos um time muito profissional, ótimos carros e ótimos pilotos".Com chuva forte, os pilotos decidiram cancelar o desfile em carro aberto, tradição no GP. A Esquadrilha da Fumaça previa uma grande apresentação, mas, por falta de teto, os sete aviões Tucano E-27 fizeram poucas passagens, apenas para saudar o público. A prefeita Marta Suplicy foi ao autódromo em companhia do marido, Luiz Favre. Não se sabe se por causa da chuva, mas, ao contrário dos anos anteriores, não apareceu na área dos boxes e esquivou-se das entrevistas. "Ela vai ficar na tribuna", informou um assessor.Os 66.500 torcedores que compraram ingresso para assistir ao GP tomaram três horas de chuva e ficaram apreensivos com a possibilidade de não haver corrida, mas foram recompensados por uma prova, no mínimo, movimentada. "Valeu a pena, foi emocionante", disse o empresário chileno Marcelo Zagal, que assistiu ao seu primeiro GP do Brasil em companhia da mulher, Michelle, no setor G do autódromo.O aguaceiro também não poupou placas de publicidade, que caíram no miolo do circuito, nem os hospitality centers, onde grandes empresas receberam seus convidados vips ao custo de US$ 3 mil por cabeça.Levantamento da secretaria Estadual de Turismo mostra, em média, que metade das pessoas que assiste ao GP do Brasil no autódromo são turistas estrangeiros ou de fora de São Paulo. Dois desses estrangeiros eram os escoceses Kevin Watson e Derek Fleming. De kilt (saia), a dupla torcedora de David Coulthard (Watson disse que, na Escócia, trabalha como motorista do pai do piloto) reclamaram da chuva em sua primeira visita ao Brasil e disseram que nesta segunda-feira vão ao Rio, para aproveitar alguns dias de folga na praia. A preocupação deles uma hora antes da largada, no entanto, era outra: " Por favor, me diga: onde se compra cerveja nesse autódromo?", perguntou Watson.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.