Reprodução do Projeto 3D/Divulgação/NF Sports
Reprodução do Projeto 3D/Divulgação/NF Sports

Com apoio de empresários, Rubens Barrichello quer construir kartódromo na Fonte Nova

Governo da Bahia assina carta de intenção para avaliar projeto de construção de uma pista dentro do complexo do estádio

Redação, O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2019 | 14h04

O piloto Rubens Barrichello quer ajudar a construir um kartódromo dentro do complexo da Arena Fonte Nova, em Salvador. Com o auxílio de um grupo de empresários, o recordista em corridas na Fórmula 1 apresentou nesta semana ao governador da Bahia, Rui Costa (PT), projeto de uma pista de 850 metros de extensão e oito metros de largura, dentro dos padrões internacionais da categoria.

Em encontro na capital baiana na última terça-feira, o piloto, a empresa NF Sports e um grupo de empresários liderados pela MCA Gribel participaram da assinatura de uma carta de intenção. O projeto será analisado até 120 dias, dentro da viabilidade econômica e da possibilidade de se fazer uma parceria público-privada para a construção e gestão do espaço.

"Estamos muito felizes com a oportunidade que se abriu para levarmos o automobilismo de base a um espaço como esse. A Bahia, sua cultura, seu povo e sua alegria são especiais e a possibilidade de unirmos os dois mais populares esportes brasileiros em um só local é sensacional", afirmou Rubinho, que atualmente disputa a temporada da Stock Car.

O projeto tem a intenção de construir kartódromo, shopping, restaurante, academia de ginástica e um memorial com exposição permanente sobre a carreira de Rubens Barrichello, com a presença de carros usados na Fórmula por ele, troféus, macacões e capacetes. Ainda não há previsão do custo do empreendimento nem prazo para viabilizar a entrega da obra.

Pelo Twitter, o governador baiano comemorou a oportunidade de se erguer um kartódromo dentro do complexo da Fonte Nova, arena usada na Copa do Mundo de 2014. "Queremos atrair empresas interessadas em estimular a modalidade esportiva na Bahia através de investimentos e geração de novos empregos. Quem sabe em breve a Bahia não seja inserida nas etapas de circuitos mundiais das competições?", pontuou o governador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.