Toru Hanai/Reuters
Toru Hanai/Reuters

Com 'atmosfera legal', Red Bull tentará quebrar jejum em Interlagos

Pilotos da equipe austríaca elogiam ambiente no Brasil como incentivo para boa corrida em Interlagos

Estadão Conteúdo

06 Novembro 2018 | 17h26

O australiano Daniel Ricciardo e o holandês Max Verstappen esperam aproveitar a "atmosfera legal" de Interlagos, em São Paulo, para quebrar neste domingo o jejum de cinco anos sem vitória da equipe Red Bull no GP do Brasil de Fórmula 1.

"A atmosfera no Brasil é legal e eu tive uma boa corrida no ano passado. É uma pista que nem sempre é fácil de passar, mas no ano passado tivemos sucesso e estou ansioso para voltar. A reta é curta e não tem curvas de alta velocidade, mas definitivamente cresceu em mim o desejo de pilotar. O clima também pode desempenhar um papel importante nesta corrida, por isso esperamos que o nosso desempenho na pista possa estar à altura da atmosfera na arquibancada", disse Ricciardo.

"No geral, Interlagos não combina bem com o nosso carro, mas terminei no pódio (terceiro) em 2016. Eu tive algumas grandes batalhas neste ano e estou esperando por outra corrida emocionante", afirmou Vertstappen.

Os dois pilotos nunca venceram em Interlagos, mas a Red Bull soma quatro vitórias no GP do Brasil. O australiano Mark Webber ganhou em 2009 e 2011, enquanto que o alemão Sebastian Vettel ficou em primeiro nas edições de 2010 e 2013.

Em 2017, Verstappen ficou em quinto lugar, seguido por Ricciardo, que obteve a sua melhor colocação em Interlagos. O holandês foi o terceiro em 2016 e o australiano, o oitavo. O piloto da Oceania disputa o GP do Brasil desde 2011, quando foi 20.º pela Toro Rosso.

Os dois destacam a animação dos torcedores nas arquibancadas e a gastronomia da cidade de São Paulo. "O desfile dos pilotos é legal com o barulho de todos os fãs locais e as buzinas, tem uma sensação de carnaval que dá um impulso de energia antes de você entrar no carro. Nós sempre temos um grande jantar", afirmou Ricciardo, que no ano que vem vai pilotar para a Renault, ao lado do alemão Nico Hulkenberg.

"Os torcedores brasileiros são muito animados. A grade da arquibancada fica próximo da pista e você pode ouvi-los aplaudindo quando está no carro. E a comida no Brasil é muito boa e as churrascarias têm carne grelhada incrível. Embora seja quase o fim da temporada, eu ainda tenho que tomar cuidado com o que eu como para ficar em forma, o que é uma pena, como eu gostaria de apreciar a culinária local ainda mais", disse Verstappen, que ainda sonha com o terceiro lugar na classificação geral.

O inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, já garantiu o pentacampeonato. Ele soma 358 pontos, contra 294 de Vettel, da Ferrari. Seu companheiro, o finlandês Kimi Raikkonen, tem 236, seguido pelo compatriota Valtteri Bottas, também da Mercedes, com 227. Verstappen acumula 216 pontos. Depois do GP do Brasil, a Fórmula 1 terá a última etapa em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, no próximo dia 25.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.