Com dores, Raikkonen descarta ficar fora de prova

O finlandês Kimi Raikkonen está determinado a participar neste domingo do GP de Cingapura, apesar da própria equipe Lotus expressar dúvidas sobre a situação do seu piloto, que sofre com uma lesão nas costas, o que inclusive afetou o seu desempenho nos treinos livres e na sessão de classificação no circuito de Marina Bay.

AE-AP, Agência Estado

21 de setembro de 2013 | 15h08

Raikkonen acordou neste sábado com muito desconforto, em razão dos seus problemas nas costas, uma antiga queixa, que aumentou durante os treinos livres de sexta-feira. Por isso, a Lotus deixou o piloto reserva Davide Valsecchi de sobreaviso.

No entanto, Raikkonen participou normalmente das atividades em Cingapura, com o auxílio de alguns analgésicos. O finlandês foi claramente afetado pelas dores, tanto se classificou apenas em 13º lugar no treino de classificação, enquanto o francês Romain Grosjean, seu companheiro na Lotus, garantiu a terceira colocação no grid de largada.

"Ainda está muito doloroso e não havia muito mais que eu poderia fazer no treino de classificação quando você leva essa combinação de coisas em conta", disse Raikkonen. "Não é a primeira vez que eu piloto com um problema e provavelmente não será

a última vez com isso, mas eu vou estar no grid amanhã e vamos tentar conquistar o máximo de posições em relação com onde estamos no início".

Ele deixou o circuito de Marina Bay para receber atendimento médico imediatamente após o treino de classificação neste sábado, e o chefe da equipe Lotus, Eric Boullier, disse que o efeito do tratamento vai determinar sua participação na corrida, independentemente de otimismo do finlandês. "Com a injeção de analgésico, ele não sente nada, mas teremos que monitorar durante a noite e ver como ele se sente amanhã", disse Boullier.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.