Com parada estratégica no fim, Barrichello vence Corrida do Milhão da Stock Car

Com parada estratégica no fim, Barrichello vence Corrida do Milhão da Stock Car

A disputa pelas primeiras colocações foi emocionante e não contou com a presença dos favoritos, como Daniel Serra

Estadão Conteúdo

05 Agosto 2018 | 13h09

Rubens Barrichello venceu neste domingo a Corrida do Milhão da Stock Car pela segunda vez na carreira - a outra foi em 2014. A vitória em Goiânia veio graças ao rápido trabalho de sua equipe nos boxes na parte final da prova. O ex-piloto da Fórmula 1 esperou um pouco mais do que os principais concorrentes para ir aos boxes e, depois de fazer o reabastecimento, retornou em primeiro lugar a duas voltas do término.

Felipe Massa retorna à Stock Car com prova em cidade onde estreou

+  Confirmado na Corrida do Milhão, Massa comemora nova chance na Stock Car

A disputa foi emocionante pelas primeiras colocações e não teve a presença dos favoritos, como Daniel Serra, que havia feito a pole, mas que deixou o carro morrer e perdeu posições. A parte final da prova contou com uma disputa acirrada entre Max Wilson, Antonio Felix da Costa e Rubinho.

Max foi o primeiro a ir para os boxes para fazer o segundo pit-stop. Foi quando Felipe Massa se envolveu em um incidente e teve o pneu traseiro furado. O safety-car não precisou entrar. Parecia que tudo daria certo para Max Wilson. Felix da Costa fez a parada e retornou em segundo lugar.

Barrichello seguiu por mais algumas voltas na pista, conseguiu fazer ótimas voltas por estar com pouco combustível e então entrou nos boxes. Saiu na liderança da corrida, na penúltima volta. Depois foi só manter a tranquilidade e cruzar a linha de chegada em primeiro lugar.

A prova foi marcada por alguns acidentes e a presença do safety-car na pista. Logo na volta de apresentação, Antonio Pizzonia e Átila Abreu tiveram problemas e o carro de apoio teve que entrar no circuito. Na largada, Daniel Serra manteve a ponta e Félix da Costa deixou Rubinho para trás. Felipe Massa, que havia largado em 28º lugar, subiu para o 22º.

O safety-car, no entanto, voltou para a pista antes de segunda volta, por conta do acidente de Gary Osman, que se chocou no muro de proteção. Algumas voltas depois com bandeira verde, Júlio Campos se chocou contra o muro também e a prova foi mais uma vez interrompida.

Daniel Serra perdeu a liderança após a primeira parada nos boxes. Seu carro morreu e ele ficou para trás. Foi quando aconteceu o acidente mais grave da etapa. Thiago Camilo rodou e se chocou com Cacá Bueno, que chegou a perder uma de suas portas. Ninguém se feriu. Na reta final vieram as segundas paradas para abastecimento e foi quando a corrida se decidiu. Max Wilson terminou em segundo lugar, com Félix da Costa completando o pódio.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.