Com Sette Câmara, Brasil vai voltar à GP2 em 2017

Categoria é uma das que mais dá acesso à Fórmula 1

Estadão Conteúdo

27 de novembro de 2016 | 11h27

Se há ainda uma indefinição sobre a presença de qualquer brasileiro no grid da Fórmula 1 no ano que vem, pelo menos a categoria de acesso da F-1 vai voltar a ter um brasileiro. Neste domingo, a MP Motorsport anunciou a contratação do mineiro Sérgio Sette Câmara, de 18 anos, que recentemente deixou a escola de formação de pilotos da Red Bull.

A participação na GP2 é uma escada importante para chegar à Fórmula 1. Por lá passaram Nelsinho Piquet, Lucas di Grassi, Bruno Senna e Felipe Nasr. Nenhum foi campeões, mas os três primeiros foram vice - Nelsinho perdeu para Lewis Hamilton o campeonato de 2006.

André Negrão correu na GP2 em 2014 e 2015, mas, sem brilhar, acabou partindo para a Indy Lights, categoria de acesso da Indy. Em 2016, nenhum brasileiro participou do campeonato, vencido pelo francês Pierre Gasly. Campeão em 2015, Stoffel Vandoorne já está fechado com a McLaren.

"É uma categoria muito competitiva com carros sensacionais. As equipes são muito profissionais e todos os pilotos são rápidos e talentosos. É um grande passo em relação à Fórmula 3 em uma plataforma em que posso aprender demais. Mal posso esperar para sentar no carro e começar a acelerar. Além de aprender, acredito que possa mostrar resultados no próximo ano", comentou Câmara, que antes passou pela Fórmula 3 no Brasil e na Europa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.