Clive Mason/Getty Images/AFP
Clive Mason/Getty Images/AFP

Com títulos garantidos, Mercedes pensa no planejamento de 2020 e 2021

Equipe alemã é campeã de Construtores e levou o Mundial de Pilotos com Lewis Hamilton

Felipe Rosa Mendes, O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2019 | 04h36

Em mais uma temporada de forte domínio na Fórmula 1, a Mercedes já pensa no futuro. Após assegurar os títulos do Mundial de Construtores e do Mundial de Pilotos, com o inglês Lewis Hamilton, a equipe alemã está focada no projeto do próximo campeonato e também na futura temporada de 2021, que já é considerada um divisor de águas na categoria. 

"Apesar dessas conquistas, eu ainda sinto que há muita fome e desejo por mais feitos na Mercedes. Não há nenhuma sensação de condescendência. Todo mundo está determinado a seguir melhorando", avisa o chefe do time, Toto Wolff.

O foco no futuro é tal que o próprio Wolff não estará no GP do Brasil. "O GP do Brasil será a primeira corrida desde 2013 em que não estarei presente. Com os dois campeonatos já garantidos, terei mais tempo na Europa para focar em outros assuntos", diz o dirigente, sem revelar seus planos.

Wolff, contudo, já avisou que não pretende ver a equipe reduzir o ritmo em São Paulo. "Temos ainda duas corridas pela frente nesta temporada e queremos terminá-la em alta", afirma. Após a corrida brasileira, o campeonato será encerrado com o GP de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, no dia 1.º de dezembro.

O dirigente da Mercedes está mais preocupado com 2021 do que com 2020. E isso se deve às futuras mudanças pelas quais a F-1 deve passar daqui a dois anos. Para especialistas, as alterações serão históricas, com consequências para toda a estrutura da categoria. O objetivo é tornar as corridas mais equilibradas, além de trazer economia e sustentabilidade esportiva para o campeonato.

Entre as novidades estarão rodas maiores e asas mais simplificadas para reduzir a turbulência gerada ao carro de trás. O assoalho passará a ser o responsável pela maior parte da pressão aerodinâmica.

As mudanças prometem ser tão bruscas que Wolff chegou a criar suspense sobre a permanência da equipe na categoria em 2021. "Tudo indica que vamos seguir no campeonato. Mas isso não está garantido."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.