Começa a F-1 da ?nova era?

Nos treinos livres e nas duas sessões classificatórias, o novo regulamento da Fórmula 1 já demonstrou ser capaz de tornar a competição menos previsível, como todo mundo deseja e o campeonato necessita. Mas o grande teste do "pacotão" de Max Mosley, presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), será mesmo neste sábado a partir da meia-noite (horário de Brasília), durante as 58 voltas do GP da Austrália, abertura do Mundial.E as novas regras já começaram a mexer com tradições da prova. Os pilotos que lutam pela vitória optam, em geral, na corrida do circuito Albert Park, pela estratégia de um único pit stop, realizado ao redor da 30ª volta. Agora, no entanto, não há indícios de que esses pilotos permaneçam fiéis a essa tendência. A sessão que definiu o grid, na sexta-feira, mostrou que haverá de tudo na largada, desde quem apostou na entrada do safey car nas voltas iniciais, e por isso mesmo classificou-se com pouca gasolina no tanque, até os que estenderão sua presença na pista por um pouco mais de tempo, programando parar nas voltas 20 e 40.Rubens Barrichello, o mais rápido na sexta-feira, acredita que neste sábado a realidade da Fórmula 1 se estabelecerá somente a partir do meio da prova. "Até lá não vamos saber exatamente a condição de cada adversário, mas depois da primeira parada nos boxes ficará mais clara a colocação de cada um", disse o piloto. "As primeiras voltas devem ser as mais emocionantes", prevê Jackie Stewart, campeão do mundo de 1969, 1971 e 1973. "Os pilotos que podem vencer necessitarão não perder tempo atrás dos que estão à sua frente apenas porque encontram-se um pouco mais leves. Haverá muitas ultrapassagens", diz Stewart."Os programas de simulação que temos estão na realidade sendo desenvolvidos, já que o número de combinações de estratégias possíveis, com o novo regulamento, cresceu exponencialmente", diz Gustav Brunner, diretor-técnico da Toyota, escuderia que surpreendeu nos dois primeiros dias em Melbourne. Já na sua segunda temporada, este ano, pode terminar o campeonato dos construtores na quarta colocação. Jean Todt, diretor esportivo da Ferrari, fala também sobre o tema da estratégia: "Penso que cada equipe precisará de umas três corridas para compreender melhor como funcionará essa questão de reabastecimento na sua definição." É de se esperar que Michael Schumacher e Rubens Barrichello não liderem a corrida da largada à bandeirada, como aconteceu tantas vezes ano passado. E se de fato isso ocorrer, como tudo indica, de novo o regulamento idealizado por Mosley já estará fazendo a sua parte. E a nova distribuição de pontos a completará: o vencedor leva 10, mas o segundo colocado, 8. Apenas 2 pontos os separam em vez de 4 como antes.O brasileiro Cristiano da Matta, da Toyota, estreou nesta sexta-feira na Fórmula 1 e já levou duas multas, totalizando US$ 4,5 mil, ambas por exceder o limite de velocidade. Apesar disso, o brasileiro foi aplaudido pela equipe. Ele conquistou o 11º melhor tempo no pré-classificatório, sendo o melhor estreante em pista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.