Contaminado pelo vírus da aventura

O pó da estrada gruda na pele. Como ele, o calor, o suor por horas a fio e algumas dores pelo corpo são inevitáveis quando se entra numa disputa como a do Mitsubishi MotorSport, o maior rali de regularidade do Brasil.Logo de cara, notei que não dá pra ir de vidro fechado, na base do ar-condicionado. Na última etapa da edição Sudeste 2002, sábado passado, por quase 200 quilômetros na região de Campinas, até teve gente que optou por se fechar dentro do carro, deixando esfriar o ânimo. O reflexo foi um desempenho só mediano, a exemplo da emoção. Mas foram poucos, pois essa turma é pra lá de animada e solidária.Leia mais no Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.