Fórmula E inova e cria categoria para carros sem humanos na direção

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) segue apostando na Fórmula E como laboratório de inovações tecnológicas da indústria automobilística. Nesta sexta-feira, a Fórmula E anunciou a criação de uma categoria satélite, que terá apenas carros pilotados por inteligência artificial, sem a presença de humanos no cockpit.

Estadão Conteúdo

27 de novembro de 2015 | 16h53

Pelo que explicou a Fórmula E, que trabalhará em parceira com a Kinetik, o novo campeonato também terá apenas carros movidos a energia elétrica e será chamado ''Roborace'', numa soma de ''robô'' com ''race'' (corrida). Ou seja: corrida de robô.

"A Roborace vai oferecer uma plataforma competitiva para soluções de pilotagem autônoma que estão agora sendo desenvolvidas por muitas indústrias automotivas e players tecnológicos, assim como em universidades de alta tecnologia", explicou a Fórmula E, em comunicado.

Ainda de acordo com a categoria de carros elétricos da FIA, que recentemente iniciou sua segunda temporada, a ideia é que a nova competição entre no calendário 2016-2017, com cada uma das 10 equipes colocando dois carros no grid. A corridas da Roborace, de uma hora, seriam preliminares às da Fórmula E, nos mesmos circuitos.

Todos os 20 carros do grid seriam iguais, mas cada equipe usará algoritmos em tempo real e inteligência artificial para permitir a competição. "Nós passionalmente acreditamos que, no futuro, todos os carros do mundo serão assistidos por inteligência artificial e movidos a eletricidade", disse Denis Sverdlov, fundador da Kinetik e da Roborace.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.