Coulthard acredita que será esquecido em dez anos

Piloto foi o britânico que mais pontuou na história da Fórmula 1, mas jamais conquistou um título mundial

Entrevista com

Agencia Estado

26 de dezembro de 2008 | 11h51

David Coulthard se despediu da Fórmula 1 no GP do Brasil, após 15 anos na categoria, e acredita que, apesar de ter sido o piloto britânico que mais pontuou na principal categoria do automobilismo, será logo esquecido. Para ele, os fãs só se lembram dos campeões mundiais."Penso que poucos recordam do que foram segundos, seja nos Jogos Olímpicos ou no que for. Não se lembram dos medalhistas de prata. Por isso, acho difícil que lembrem de mim em dez anos. Sempre competi dentro das regras e gosto de imaginar que serei lembrado como um bom esportista", afirmou, em entrevista ao jornal argentino Olé. Vice-campeão em 2001, Coulthard acredita que faltou regularidade para conquistar um título da Fórmula 1. "Sei que quando estava bem eu podia ser tão bom como Schumacher e rápido como Hakkinen. E terminava no pódio com eles. Não acho que é culpa da sorte: fiz meu trabalho o melhor que pude, mas me faltou consistência", analisou. Coulthard não escondeu na entrevista que ficou chateado por ter cedido o primeiro lugar do GP da Austrália para Mika Hakkinen, em 1998. "Ninguém gosta de correr e dar a vitória para outro piloto, mas eu seguia as instruções da equipe, que me pediu para fazer isso. Sempre fui obediente esperando obter os benefícios dessa atitude", justificou.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1David Coulthard

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.