Coulthard admite força da Williams

As chances de David Coulthard, da McLaren, vencer Michael Schumacher, da Ferrari, na luta pelo título, são ainda menores. Além de Michael, o escocês tem ainda mais dois adversários: os pilotos da Williams. A opinião é de Ross Brawn, diretor-técnico e estrategista da Ferrari. "Até ano passado, bastava para a McLaren nos vencer, ou nós a eles, para sermos campeões. Agora, temos de considerar a existência de um segundo adversário." Coulthard reconhece as dificuldades: "A Williams representa um perigo maior para mim que o próprio Michael." Na sexta-feira, nos primeiros treinos livres para o GP da Grã-Bretanha, 11ª etapa do campeonato, em Silverstone, Coulthard terá de mudar seu planejamento. Só a vitória lhe interessa. Schumacher lidera o Mundial com 78 pontos, enquanto ele soma apenas 47. Ralf Schumacher, da Williams, está em terceiro, com 31. Como restam sete corridas para o encerramento do ano, Coulthard tem de iniciar já sua reação. O retrospecto da prova de Silverstone lhe é favorável: venceu as duas últimas edições do GP da Grã-Bretanha. "A situação está mais difícil para mim porque eu preciso correr para vencer, e Schumacher apenas para chegar em segundo e terceiro." A evolução dos pneus Michelin, da Williams, é apontada pelo piloto da McLaren - que, como a Ferrari, usa pneus Bridgestone - como o principal fator de avanço do time de Ralf Schumacher e Juan Pablo Montoya. "Se eles equipassem o carro do ano passado com os pneus atuais, poderiam vencer corridas", avalia Coulthard. "Haverá ocasiões em que nem eu nem Michael seremos capazes de vencer Ralf." Apesar de ausente da Fórmula 1 desde o fim de 1984, a Michelin retornou à competição este ano e já ganhou, com Ralf, os GPs de San Marino e do Canadá.Nos últimos dez anos, a Ferrari só venceu em Silverstone em 1998, com Schumacher. Curiosamente, foi no velho autódromo inglês que a Ferrari obteve sua primeira vitória na Fórmula 1. Sábado, o time de Maranello irá comemorar 50 anos da histórica conquista, realizada pelo argentino José Froilán González. Foi a primeira vez que os carros criados por Enzo Ferrari venceram os da Alfa Romeo, de Juan Manuel Fangio, segundo colocado. Naquele dia, Enzo pronunciaria uma frase que tornou-se lendária: "Hoje matei a minha mãe." Enzo corria pela Alfa Romeo e depois dirigiu a divisão de competição da equipe, a McLaren da época. Em 1947 criou a Scuderia Ferrari para concorrer com a Alfa Romeo.Barrichello - O piloto da Ferrari reagiu com indiferença às críticas de Eddie Irvine, seu ex-companheiro de Jordan, que o chamou de "chorão" para a imprensa italiana. "Ele gosta de cutucar os outros. Seria talvez melhor se Eddie se concentrasse no seu trabalho na Jaguar."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.