Coulthard desafia irmãos Schumacher

O escocês David Coulthard, da McLaren, vice-líder do Mundial de Fórmula 1, deixou de lado sua tradicional polidez nas respostas à imprensa nesta quarta-feira, ao responder aos alemães que a história da sua equipe, a Mercedes, no circuito de Nurburgring, "é muito mais antiga que a dos Schumacher." Os jornalistas desejavam saber sua opinião sobre a possível nova disputa entre Michael, da Ferrari, e Ralf, Williams, no GP da Europa, nona etapa da temporada, cujos treinos livres começam sexta-feira. Está tudo pronto para a grande festa que os alemães irão oferecer aos irmãos Schumacher, em especial depois da bela disputa entre ambos pela vitória no GP do Canadá, dia 10. O "gentleman" Coulthard colocou de forma clara o que pensa a respeito dos dois: "Estou aqui para defender a Mercedes. O seu flecha de prata fazia sucesso (modelo campeão do mundo em 1954 e 1955) bem antes dos Schumacher existirem."O que falta à McLaren-Mercedes para competir e vencer a Ferrari e a Williams é aproveitar melhor os pneus nas sessões de classificação, segundo disse o piloto escocês. "A Ferrari consegue fazer os pneus funcionarem de forma mais eficiente que nós na tomada de tempos, enquanto em corrida acredito que a vantagem ainda é nossa." Farpas - Na entrevista concedida nesta quarta-feira à ITV, a rede de TV digital criada pelo promotor da F1, Bernie Ecclestone, Michael Schumacher deu uma alfinetada em Juan Pablo Montoya, com quem já teve suas rusgas no campeonato. "Se você comparar os seus tempos de volta com os do meu irmão, verá que meu maior adversário, no futuro, na luta pelo título, será Ralf e não Montoya." O piloto da Ferrari mais uma vez procurou desmerecer o colombiano da Williams, como muitos vêm fazendo na Fórmula 1: "Das oito etapas até agora realizadas, ele largou na frente de Ralf apenas uma vez."O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), o inglês Max Mosley, está vendo a passagem de Montoya pela Fórmula 1 de maneira distinta, segundo comentou nesta quarta-feira em Bilbao, onde esteve para uma visita ao Automóvel Clube Basco. "Seu progresso tem sido extraordinário. Pode demorar um pouco para compreender melhor a Fórmula 1, mas não duvido que ele chegará lá." Michael aproveitou a conversa com o repórter da ITV para agradecer, mais uma vez, Rubens Barrichello, seu companheiro na Ferrari. "Quero lhe dizer obrigado publicamente pela forma como se conduz comigo nas batalhas. Ele me protegeu quando estava em dificuldade, logo irei retribuir, é só aguardar."Depois que Jean Todt, diretor esportivo da Ferrari, afirmou que Ralf é o piloto ideal para substituir Michael no time italiano, a cotação do Schumacher mais novo cresceu ainda mais. "Fui mesmo procurado por outras escuderias para me transferir no fim do meu compromisso com a Williams", admitiu Ralf. Seu contrato com a organização de Frank Williams termina no fim de 2002. Hoje mesmo, porém, Ralf esfriou as pretensões da Ferrari e de Ron Dennis, da McLaren, que também o procurou. "A renovação de meu contrato com a Williams é uma questão de detalhes", explicou. Ficou no ar a suspeita de que no fim de semana ele e Frank Williams possam anunciar a sua permanência na equipe até o fim de 2004, época do fim do contrato de Michael com a Ferrari. Dia 30, Ralf irá comemorar 26 anos, enquanto Michael já tem 32.

Agencia Estado,

20 de junho de 2001 | 16h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.