Coulthard pede punição para Massa

A disputa entre Felipe Massa e David Coulthard no GP de San Marino, domingo, não acabou quando o diretor de prova lhes deu a bandeirada, na 12.ª e 13.ª colocações. Cerca de uma hora mais tarde os dois voltaram a digladiarem-se, como fizeram na pista em duas oportunidades. Na primeira deu o escocês da Red Bull, o que obrigou Massa parar no box para substituir o aerofólio dianteiro. Na segunda, a vitória foi de Massa, já que, com o toque do piloto da Sauber, Coulthard escorregou para a área de escape. Os dois cruzados atingiram seus adversários na mesma região, curva Rivazza. Segundo o escocês, Massa deveria ser punido. O brasileiro também acusou: "Ele me fechou em plena reta, a 300 km/h." Quando se imaginava que o combate empatara por pontos, Coulthard atacou de novo, no estacionamento do circuito Enzo e Dino Ferrari: "Eu o agarrei pelo pescoço", afirmou. Massa diminuiu o episódio: "Conversamos e acreditei na sua versão de que não me viu." O combate, sob essa regras, seria desleal. Coulthard tem 1,83 m e Massa, 1,66m. Na pista as diferenças de categoria aparecem menos. Em Mugello, Jenson Button, da BAR, equipe que corre o risco de ser punida pela FIA, foi o mais rápido no treino de hoje, 1min20s250 (123). Michael Schumacher, Ferrari, ficou em 2.º, 1min20s566 (84) e Rubens Barrichello, Ferrari, 3.º, 1min21s406 (81).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.