Da Matta: olho no título e na F-1

Em sua quarta temporada na F-Indy/Cart, o mineiro Cristiano da Matta vive seu melhor momento. Venceu quatro das sete etapas disputadas, entre elas as três últimas - Laguna Seca, Portland e Chicago - e lidera o campeonato com bastante tranqüilidade. Continuará na liderança mesmo que não pontue neste domingo, no GP de Toronto, a 8ª etapa. No entanto, passa os dias com um olho no gato e outro no peixe. Explica-se: Cristiano persegue o título da categoria enquanto trabalha em outra frente para conseguir realizar um objetivo antigo, o de correr na F-1. Na teoria, suas chances de chegar à principal categoria do automobilismo mundial nunca foram tão grandes quanto agora. Desfruta de excelente conceito na Toyota e em maio realizou um teste com um carro da equipe de F-1, em Paul Ricard. Chegou na França num sábado pela manhã e ficou das 9 às 17 horas no autódromo. Completou 90 voltas e, dizem, agradou. Na prática, porém, suas chances são pequenas, pelo menos no momento, uma vez que a ida de um piloto para a F-1 passa por negociações bastante complexas. Por isso, e por ter contrato com a Newman-Haas até o final de 2003, Cristiano prefere não criar expectativas em relação à F-1. "Até agora, de concreto só fiz o teste. Tenho um pouco de chance (de ir para a categoria), mas é cedo. Claro que converso com o pessoal da Toyota, mas não estou preocupado´´, disse. Ciente de que a troca da categoria independe de sua vontade, Cristiano entende que, no momento, o melhor é se concentrar na busca pelo título da F-Indy. "Até pelo fato de ter contrato com a Newman-Haas até o fim de 2003, não me sinto à vontade para falar em outra categoria. Não posso tomar posição´´, tenta esquivar-se. Não consegue totalmente. "Estou satifeito aqui (na Indy) e, se ganhar tudo o que quero na categoria, posso ir para a F-1.´´ Tudo o que Cristiano quer, no caso, é ser campeão. E colecionar vitórias. Se ganhar em Toronto, alcançará a expressiva marca de sete vitórias nas últimas dez corridas - chegou em primeiro nas duas últimas etapas do ano passado, na Austrália e em Fontana, e iniciou 2002 ganhando em Monterrey - e igualará a marca de Al Unser Jr. e Alessandro Zanardi, que em 1990 e 1998, respectivamente, venceram por quatro vezes seguidas na categoria. Até a sexta-feira, Cristiano liderava o atual campeonato com 96 pontos, contra 70 de Bruno Junqueira, o brasileiro da Chip Ganassi, e 64 de Dario Franchitti, o escocês da Green. Risco - Mas enquanto Cristiano sonha com o título da temporada e com uma ida para a F-1, um pesadelo pode aparecer em seu caminho: a Indy Racing League. Isso porque a Toyota, fornecedora de motores para a Newman-Haas, vai deixar a Indy/Cart no final da temporada e passará a trabalhar com a IRL em 2003. Com isso, surgem comentários de que a Newman-Haas iria disputar as duas categorias (com dois carros em cada) e poderia remanejar seus pilotos atuais. Ninguém confirma, porém, a versão. "É cedo para falarmos nisso. E inoportuno, uma vez que estamos tão bem no campeonato´´, disse uma pessoa ligada à Newman-Haas. Certo é que Cristiano já revelou a amigos que não gostaria de correr na IRL. Videotape - O GP de Toronto tem largada prevista para as 14h30 de Brasília, no circuito de rua de 2.824 metros de Exhibition Place. Serão 112 voltas. A TV Record anuncia o teipe da prova, a partir das 18 horas. A DirecTV transmite ao vivo, por meio do canal 363. O único brasileiro a vencer nas ruas da cidade canadense foi Emerson Fittipaldi, em 1987. O norte-americano Michael Andretti tem sete vitórias em Toronto, duas delas conquistadas nos doisúltimos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.