Damon Hill culpa Senna por acidente

O inglês Damon Hill, campeão mundial de Fórmula 1 em 1996, considera que o acidente que matou Ayrton Senna em Ímola, no dia 1º de maio de 1994, aconteceu por um erro do próprio tricampeão mundial. Hill, companheiro do brasileiro na equipe Williams na época do acidente, revelou sua opinião nesta terça-feira, quase 10 anos depois da morte de Senna, em sua coluna no jornal The Times.?Nunca saberemos o que Ayrton pensava e o que realmente se passou, mas estou convencido de que ele cometeu um erro. Muitos nunca acreditarão que ele poderia errar. Por quê? Ele cometeu vários erros em sua carreira??, escreveu o ex-piloto.Hill diz não se convencer de que foi a ruptura da barra de direção da Williams que levou Senna a perder o controle do carro e bater na curva Tamburello. Ele sustenta que a barra não poderia se romper a não ser em conseqüência de um mau funcionamento da direção hidráulica. ?Não me convence o fato de a coluna poder ter se quebrado com a direção hidráulica funcionando normalmente, o que, acredito, estava nos dados do carro.??O ex-piloto inglês garante que a barra de direção da Williams foi testada exaustivamente, mas reconhece, no seu artigo, que a coluna poderia ?não resistir por uma corrida inteira?? e admite que o carro ficou difícil de guiar com a modificação na barra de direção.O inglês dá a entender que o erro que, para ele, Senna teria cometido está relacionado aos pneus da Williams, que estavam frios, pois o acidente ocorreu na volta seguinte à saída do safety car da pista. ?Escutei e li muitas teorias sobre por que e como Senna podia ter batido em uma curva tão simples como a Tamburello??, disse. ?Ninguém mais do que eu e ele sabíamos como pilotar aquele carro, fazer aquela curva, naquela corrida, naquele dia, com pneus frios. Ninguém tem culpa se Senna manteve o pé fundo (no acelerador) quando poderia ter aliviado.??Hill afirmou que por muito tempo considerou os homens que fizeram as regras da F-1 os culpados pelo acidente com Senna. Hoje, pensa de maneira diferente. ?Agora, eu consigo ver. Automobilismo é um esporte, entretenimento. Ninguém está obrigado a fazer as coisas. Ayrton não tinha de correr naquele dia. Tinha de fazer uma escolha naquele domingo e, lamentavelmente, fez a escolha errada.??Não é assim que a Justiça italiana parece pensar. No mês passado, o processo que apura as causas da morte de Senna foi reaberto e Frank Williams, o dono da Williams, Patrick Head, o diretor técnico da equipe, além do projetista Adrian Newey, poderão voltar ao banco dos réus.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.