Valéria Zukeran/Estadão
Valéria Zukeran/Estadão

Damon Hill vê Vettel pressionado, e Niki Lauda aposta em alemão

Para inglês, Fernando Alonso está em melhor situação pois não tem nada a perder

VALÉRIA ZUKERAN E CIRO CAMPOS, Agência Estado

24 de novembro de 2012 | 19h13

SÃO PAULO - Campeão do Mundial de Pilotos de Fórmula 1, o inglês Damon Hill acredita que o alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, pode ser ver em uma situação muito difícil no GP do Brasil justamente por causa dos 13 pontos de vantagem sobre seu rival, Fernando Alonso, da Ferrari. A chuva que promete cair durante a corrida pode ser um adversário bastante respeitável para o alemão, acredita o ex-piloto, lembrando que não é fácil correr na condição de favorito por estar na frente na classificação.

"No molhado é sempre mais arriscado. É mais, difícil mas às vezes pode ser uma boa oportunidade", garante Hill, que venceu em Interlagos em 1996. "Acho que é complicado quando você tem muito a perder", pondera o ex-piloto, lembrando da boa vantagem de Vettel na luta pelo título. "É como em golfe. Muitas vezes você lidera a maior parte do tempo para perder no final."

Para Hill, apesar dos pesares, Alonso está em melhor situação pois não tem nada a perder. "É muito mais fácil quando você sai de trás", acredita.

O tricampeão Niki Lauda, vencedor das temporadas de 1975, 1977 e 1984, discorda e acha que Vettel tem tudo para levar a melhor em Interlagos. "Ele tem uma vantagem de pontos muito boa (para garantir o título do Mundial de Pilotos)", enfatizou.

Para o austríaco, que venceu o GP do Brasil de 1976, a única coisa que pode acontecer de extraordinário é Alonso ser beneficiado pelas condições de clima, mas isso, a princípio, não é mais desvantagem para um piloto do que para outro. "Com chuva fica complicado para todo mundo", lembrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.