Daré larga em 14º na Indy League

O norte-americano Mark Dismore larga na pole position no GP do Texas, quinta etapa da temporada 2001 da Indy Racing League, que será disputada na noite deste sábado no Texas Motors Speedway. Ele cravou o tempo de 24s303 em sua melhor volta no oval de 1,5 milha (2,4 quilômetros) do Texas Motors Speedway, na cidade de Fort Worth, próxima a Dallas. Dos brasileiros que disputam o campeonato, o melhor no grid é Aírton Daré, em 12º, com 24s808. Felipe Giaffone, da Treadway, está em 14º, com 24s811. A corrida terá 200 voltas e a largada está marcada para as 21 horas deste sábado, horário de Brasília. Ao lado de Dismore larga Scott Sharp, com Eddie Chever em terceiro. Daré estréia um carro novo no Texas. Sua equipe, a Xtreme, comprou um terceiro carro. "Não tive tempo de fazer os ajustes finos no carro porque a chuva impediu a realização do segundo treino livre. Mas já deu para ver que o novo bico e a nova suspensão traseira são melhores que o anterior??, disse o brasileiro. O fato de ter ficado em 12.º no grid não aborreceu Daré. Isso porque sua equipe utiliza chassis G-Force, que não são muito bons na classificação em comparação com os Dallara - que estão nas cinco primeiras posições no grid. "Em compensação, os Dallara perdem desempenho quando os pneus se desgastam e, numa corrida, isso influi. Já os G-Force não têm esse problema.?? Para Daré, porém, é importante ir bem no Texas. "Se isso acontecer, terei certeza de que irei bem nas duas próximas corridas (Pike´s Peak, dia 17, e Richmond, em 1.º de julho), pois as pistas têm características semelhantes.?? A etapa deste sábado da IRL acontece em uma pista onde a F-Indy foi obrigada a cancelar a corrida que deveria ter ocorrido em 29 de abril. Isso porque, por causas da configuração dos carros que disputam o campeonato organizado pela Cart, os pilotos sentiam tonturas após 30 voltas pelo circuito. Com velocidades que atingiam 370 km/h na média da volta (Kenny Brack chegou a alcançar 376 km/h) e quase 400 km/h no final da reta principal da pista, que tem 24 graus de inclinação, os pilotos, por causa da ação da força da gravidade, corriam até o risco de perderem os sentidos, o que poderia ocasionar acidentes de graves conseqüências. O cancelamento da corrida foi decidido depois que 22 dos 25 pilotos que foram à pista no treino livre que aconteceu no sábado (véspera da data marcada para a corrida) reclamaram de tontura. A IRL, porém, pode correr no Texas Motors Speedway porque seus carros têm diferenças em relação aos da Indy. Algumas delas: os chassis são mais largos e pesados e os motores, aspirados (a Indy utiliza os turbo), têm limitadores de velocidade. A conseqüência é atingem velocidades menores, cerca de 365 km/h em média, que, ainda que sejam altas, lhes permite correr no TMS.

Agencia Estado,

08 de junho de 2001 | 16h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.