Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

De olho na F-1, Emerson Fittipaldi leva neto para encontro com Prost

Pietro, de 21 anos, está perto do título da Fórmula Renault e visitou Interlagos ao lado do avô para falar com dirigentes

Ciro Campos e Felipe Rosa Mendes, O Estado de S. Paulo

12 Novembro 2017 | 07h00

O bicampeão mundial de Fórmula 1, Emerson Fittipaldi, está disposto a ajudar o neto, Pietro, de 21 anos, a ser um dos próximos brasileiros a chegar à principal categoria do automobilismo. Neste sábado, o ex-piloto foi ao autódromo de Interlagos para acompanhar os treinos para o GP do Brasil e aproveitou para apresentar o jovem competidor para antigos colegas e dirigentes de equipes.

+ GP de 2018 será o primeiro da história sem pilotos locais

+ Massa se diz realizado por carreira na Fórmula 1

Pietro é o líder da temporada da Fórmula Renault V8 3.5, categoria inglesa responsável por revelar Sebastian Vettel. O jovem piloto está a uma etapa de confirmar o título. "Para mim é importante ganhar, até porque é importante ter um brasileiro na Fórmula 1. Mas o principal agora é ganhar o campeonato e ver o que segue. Tenho chance de Fórmula 1 no futuro, vamos ver as opções", disse.

Emerson levou o neto para um encontro no escritório da Renault com o ex-piloto francês Alain Prost, conselheiro técnico da escuderia. O dirigente foi apresentado a Pietro e os três conversaram por alguns minutos. Os Fittipaldis caminharam pelo paddock, onde deram entrevistas, encontraram outros conhecidos e depois seguiram para uma área reservada a VIPs. O avô elogiou o talento do neto e lamentou o declínio da participação brasileira na categoria. "O Brasil é carente de projetos para alavancar a carreira de pilotos, como tem no México e em outros países. Falta apoio", afirmou. "Estamos conversando com muitas equipes, Pietro está em uma fase muito boa", completou.  

A presença de representantes brasileiros na categoria será interrompida em 2018, depois de participações constantes de pelo menos um piloto por anos desde 1970, justamente quando Emerson estreou na categoria. O único brasileiro do momento, Felipe Massa, da Williams, confirmou o adeus da categoria para o fim deste ano. Não há um substituto imediato do País para a próxima temporada.

"Desde que meu avô corria sempre tinha piloto brasileiro, mas agora pode vir eu, meu irmão, Enzo, o Pedro Piquet e o Sérgio (Sette Câmara). Então, tem outros pilotos brasileiros vindo. Agora, estamos indo com tudo para conseguir chegar lá", disse Pietro. O irmão dele, Enzo, de 16 anos, já integra o programa de academia de pilotos da Ferrari. A mãe dos dois é Juliana Fittipaldi, filha do bicampeão mundial.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.