Mark Thompson/AFP
Mark Thompson/AFP

De saída da Ferrari, Raikkonen pilotará pela Sauber em treino na próxima semana

Piloto foi liberado para participar dos testes que serão promovidos pela Pirelli nos dias 27 e 28, em Abu Dabi

Estadão Conteúdo

23 de novembro de 2018 | 18h51

Kimi Raikkonen vai voltar a pilotar um carro da Sauber ainda em 2018, uma vez que o piloto foi liberado para participar dos testes que serão promovidos pela Pirelli na semana que vem, nos dias 27 e 28, em Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos. A presença do finlandês na atividade foi confirmada pelo CEO da escuderia, Frédéric Vasseur, em entrevista nesta sexta-feira.

Raikkonen estreou na Fórmula 1 como piloto da Sauber, em 2001, quando tinha apenas 21 anos. Após conquistar bons resultados, o piloto foi contratado pela McLaren, equipe que ele defendeu entre 2002 e 2006, até que se transferiu para a Ferrari. Pelo time italiano, o finlandês disputou oito temporadas ao todo, somadas duas passagens, e conquistou uma vez o título mundial, em 2007.

O GP de Abu Dabi, que vai acontecer neste fim de semana, vai marcar a despedida de Raikkonen da Ferrari. O piloto deixou a Fórmula 1 em 2010 e retornou em 2012, para defender a Lotus, na qual ficou até o fim de 2013. De volta à escuderia italiana em 2014, o finlandês correu as últimas cinco temporadas, mas não disputou o título da categoria e ganhou apenas uma corrida no período, o GP dos Estados Unidos de 2018, em 21 de outubro.

"Estou sabendo que é um time muito menor do que esse em que estive nos últimos anos, a Ferrari, mas estou animado. Vai ser diferente em diversas formas, mas o objetivo é sempre o mesmo, ter um bom desempenho nas corridas", comentou o finlandês em entrevista concedida nesta quinta-feira.

Raikkonen será substituído na Ferrari por Charles Leclerc, que em 2018 estreou na Fórmula 1. O piloto monegasco, representante da Sauber, conquistou 33 pontos nas 20 etapas do campeonato disputadas até agora.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Kimi RaikkonenSauberFerrariFórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.