Decepcionado, Massa diz manter a esperança para o Brasil

'Vou chegar de cabeça erguida para vencer em casa', discursa o piloto da Ferrari, mesmo com desvantagem

Redação

19 de outubro de 2008 | 08h03

Felipe Massa está decepcionado por não conseguir vencer o GP da China e ver Lewis Hamilton ficar bem perto da conquista do Mundial de pilotos. Com a diferença de sete pontos, ele diz manter a esperança para conseguir tirar a diferença e conta, com isso, com o fato de correr em casa, em Interlagos, daqui a duas semanas.Veja também: Hamilton vence na China, Massa é 2.º e adia decisão da F-1"Acho que a gente fez o melhor possível, chegando em segundo e terceiro. Lógico que pelo campeonato de pilotos poderia ser melhor, mas para o de construtores foi sensacional. Agora é trabalhar duro, a gente sabe que muita coisa pode acontecer em uma corrida e vamos lutar para conseguir. Se isso acontecer, será um sonho. Vou chegar de cabeça erguida para vencer em casa", disse, na entrevista coletiva.A dificuldade em superar a McLaren do adversário - que venceu com boa vantagem - foi justificada pelo trabalho da equipe adversária em todo o final de semana. "Era bem complicado, como ontem [sábado], de largar na pole, as McLarens estavam bem mais rápidas o final de semana inteiro. Trabalharam direito e venceram." O domínio da McLaren na etapa chinesa aparentemente não incomodou Massa. "Não dá ainda para saber o que aconteceu. No Japão estavamos competitivos, mas aqui não. É claro que isso tem haver com a característica da pista. E acredito que Interlagos nos favorecerá"Sobre a possibilidade de chegar de conseguir uma virada no campeonato e chegar ao título na última corrida do ano, Massa comparou F-1 à futebol e lembrou da disputa do ano passado, com o próprio Hamilton perdeu a taça, mesmo precisando apenas de um quarto lugar.   "Me sinto como em uma final de Copa do Mundo, onde o jogo acabou empatado e foi para os pênaltis, e o concorrente já acertou dois gols e você perdeu dois", explicou. "Você vai para os últimos com a única chance que você tem, esperando acertar e que ele erre os outros. Já aconteceu isso em Copa do Mundo e na F-1 também", lembrou o brasileiro.   "Quando você joga em casa, você joga sempre melhor. Seria melhor chegar em casa com mais pontos, mas a esperança é a última que morre", completou.SUPERAÇÃOO companheiro de equipe Kimi Raikkonen disse esperar que sua equipe supere as McLaren no Brasil. "Sabíamos o que queríamos como equipe, meu carro estava bom e consegui manter voltas rápidas como o Lewis (Hamilton), mas não foi possível diminuir tanto a distância para ele. Esperamos que na próxima corrida possamos estar melhores e superar as McLaren", afirmou. "Trabalhei para a equipe, pois não tinha nada a ganhar ou perder nesta corrida", finalizou. (com EFE)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.