Destino da Prost, nas mãos da Justiça

O destino da Prost Grand Prix deverá ser decidido nesta segunda-feira na França. O Tribunal de Versalhes tem marcada reunião para analisar algumas propostas de grupos empresariais que estariam dispostos a investir na equipe, segundo se comenta na Europa, ou se decreta a sua falência. A Prost, que tem dívida superior a US$ 30 milhões, está sob intervenção judicial desde novembro. Na última semana, surgiram informações de que há vários interessados em injetar na equipe francesa os dólares necessários para a sua sobrevivência. Um desses grupos seria formado por empresários italianos, influenciados por Cesare Fiorio, ex-diretor da Ferrari. No entanto, não há confirmação oficial de nenhuma proposta. TREINOS ? Michael Schumacher voltou a ser o mais rápido neste domingo, nos testes realizados em Valência, Espanha. O alemão da Ferrari, que no sábado já havia feito o melhor tempo, cravou 1min12s636 (90 voltas) na pista do circuito Ricardo Torno. Ele treinou com o carro de 2001, com alguns componentes de serão utilizados no modelo deste ano.Ralf Schumacher, com a Williams, fez 1min12s773 (54), enquanto o brasileiro Antonio Pizzonia, piloto de testes da equipe, marcou 1min13s387 (82). O espanhol Marc Gene, também da Williams, obteve o quarto tempo (1min13s625), à frente dos dois pilotos da BAR, o de testes, o japonês Ryo Fukuda (1min14s246), e o francês Olivier Panis (1min15s321). Panis teve problemas e completou apenas nove voltas. Williams e BAR encerraram neste domingo a bateria de testes. Rubens Barrichello não treinou. Ele bateu forte no sábado, a cerca de 230 km/h, e queixou-se de dores no peito e no ombro direito. A Ferrari, porém, alegou que o brasileiro só não foi à pista porque não deu tempo de arrumar seu carro e que nesta segunda-feira ele treinará normalmente.

Agencia Estado,

20 de janeiro de 2002 | 20h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.