Diego Azubel/ EFE
Diego Azubel/ EFE

Dez anos após 1º título, Alonso quer voltar a ser campeão mundial

Espanhol não descarta mudar de categoria para conquistar título

O Estado de S. Paulo

25 de setembro de 2015 | 17h02

Há exatos dez anos, o espanhol Fernando Alonso conquistava seu primeiro título mundial da Fórmula 1 quando defendia a Renault. Em uma temporada nem tão produtiva assim na McLaren, o piloto espera voltar a conquistar um campeonato no automobilismo, independente da categoria. 

"Espero voltar a ser campeão do mundo. Parece que passaram mais anos do que realmente são, parece que passaram 20 anos desde ganhei o mundial por tudo o que vivi e por todos os anos que estou aqui. Na Rússia, creio que completarei 250 GPs e dez anos não são nada. Oxalá que possa repetir, se não aqui em outras categorias para ser campeão do mundo", declarou o piloto à imprensa espanhola em Suzuka

Em função da chuva que caiu no circuito japonês nesta sexta-feira, Alonso completou apenas 15 voltas ficando em 16º e 18º nas duas primeiras atividades, respectivamente. "Mesmo não rodando tanto, fizemos testes importantes, alguns vitais, como a refrigeração do cambio, razão pela qual não completamos a prova em Cingapura. Aqui fizemos algumas modificações e tudo está funcionando como o esperado", afirmou o espanhol, lembrando a razão pela qual nem ele nem seu companheiro na McLaren, Jenson Button, atravessaram a linha de chegada em Cingapura.  

Pensando nos treinos classificatórios de amanhã, o carro de Fernando Alonso teve o motor trocado. "O motor que havia sido usado apenas em Spa [Francorchamps] foi o usado na manhã de hoje [sexta-feira] e não evoluiu tanto, não se mostrando tão confiável como gostaríamos. Mas temos que confiar e ver se podemos acabar e salvar o final de semana com este motor e, de olho na Rússia, teremos que tomar outras medidas."

"Amanhã temos uma primeira sessão de treinamentos ou a sessão mais importante que outras vezes porque temos muitas coisas a provar que não provamos. Mas não é o mesmo para todos e vamos ver se conseguimos ter alguma vantagem", completou o bicampeão mundial. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.