Di Grassi ainda não definiu seu futuro

O piloto Lucas Di Grassi, 20 anos, que terminou o Campeonato Inglês de F-3 em 8º lugar (com duas vitórias e duas poles), defenderá a equipe Hitech Racing nas corridas da categoria em Macau (21/11) e Bahrein (9/12). Até lá, o piloto espera definir seu futuro para 2005. Di Grassi é o único brasileiro que faz parte do RDD - Renault Driver Developpement - programa da marca francesa para formar pilotos para a F-1. Em Zandvoort, no Marlboro Masters, corrida que reúne os melhores pilotos de F-3 da Europa, Lucas foi o melhor brasileiro e o primeiro entre os seis pilotos do DDR. Agora, em Macau e Bahrein, Lucas deverá enfrentar outra vez os pilotos da DDR. "Tenho três opções: outra temporada de F-3 inglesa, a World Series by Renault (antiga SuperNissan) ou a GP-2 que é a minha preferida. Mas a Renault é que vai definir". A GP-2, nova categoria de acesso à F-1, terá chassi Dallara e motor Renault V8 4.0 com 650 cavalos, câmbio e embreagem no volante. "Esta categoria vai dar base firme para o piloto chegar na F-1", diz Lucas Di Grassi. Caso Lucas não renove o contrato com a RDD - que banca o custo de toda a temporada - o piloto estudará propostas da F-3 japonesa e italiana. "Eu gostaria muito de continuar o trabalho com a Renault porque acho que é o melhor caminho para chegar à F-1.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.