Di Grassi se diz confiante com evolução da Virgin

Após testes finais antes da temporada, brasileiro afirma que carro ainda pode melhorar

AE, Agencia Estado

28 de fevereiro de 2010 | 21h37

O brasileiro Lucas Di Grassi encerrou neste domingo seu último teste com o carro VR-01. Completou 49 voltas no circuito da Catalunha, em Barcelona, e ganhou confiança para estreia da equipe Virgin na Fórmula 1, no GP de Bahrein, no dia 14 de março.

Veja também:

link Schumacher muda discurso e crê em Mercedes forte

link Massa descarta favoritismo da Ferrari no Bahrein

link Barrichello diz que Williams vai surpreender em 2010

link Hamilton fecha testes em Barcelona com o melhor tempo

"Testei em dois dias aqui em Barcelona sendo que um deles, na quinta-feira, com muitos problemas, que me fizeram parar na pista. Hoje testamos várias coisas, inclusive largada. Ainda não conseguimos fazer uma simulação de classificação e nossos tempos ainda podem melhorar muito", revelou.

Os problemas, contudo, não desanimaram o brasileiro. "Estou bem confiante porque conseguimos evoluir muito desde os testes em Jerez [na semana passada], tanto na parte aerodinâmica quanto no sistema hidráulico. Já sabemos onde estão os problemas e sabemos como resolvê-los. Temos muito a evoluir e sabemos onde", afirmou o brasileiro.

Na semana passada, seguidos problemas no carro da Virgin prejudicaram os testes de Di Grassi, em Jerez. Contudo, ele acredita que a próxima atualização deixará o VR-01 pronto para a estreia.

"Só precisamos colocar as coisas em ordem. Vamos melhorar bastante com a nossa próxima atualização, que inclui uma nova asa dianteira, bem mais complexa do que a que utilizamos nos testes", explicou, mostrando finalizou o brasileiro.

Para o diretor técnico Nick Wirth, as próximas duas semanas serão decisivas para resolver os problemas do carro. "Agora, a Virgin Racing terá duas semanas completas para a preparação dos carros titulares e dos reservas para a estreia no Bahrein", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1VirginLucas Di Grassi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.