Diretor da BMW diz que equipes precisam de acordo com FIA

Mario Thiessen argumenta que 'não faz sentido acabar com o que temos hoje', sobre os problemas das regras

EFE

21 de maio de 2009 | 16h26

MONTECARLO - O alemão Mario Theissen, diretor da BMW-Sauber, ressaltou a importância de se chegar a um acordo na reunião desta sexta da Associação de Escuderias da Fórmula 1 (Fota, em inglês).

Veja também:

tabela F-1: classificação do Mundial

especial Confira o calendário da temporada

especial ESPECIAL: jogue o Desafio dos Pilotos

As equipes vem travando uma complicada negociação com a Federação Internacional de Automobilismo (FIA), que pretende introduzir um teto orçamentário de 40 milhões de libras (ou 45 milhões de euros) na categoria, a partir de 2010.

"Temos que lutar para chegar a um acordo, pois não faz sentido acabar com o que temos hoje. Vamos fazer o possível, mas é necessário que mostrem às equipes que faz sentido continuar na F-1", disse.

Sobre o fracasso das conversas da semana passada com o presidente da FIA, Max Mosley, Theissen disse que o encontro teve "alguns sinais de aproximação por ambas as partes".

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1BMWMario ThiesenFotaFIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.