Diretor do documentário de Senna queria ter contado com narração do piloto

VALÊNCIA - O diretor do documentário de Senna, Asif Kapadia, explicou após a apresentação do filme sobre o tricampeão de Fórmula 1, que ao montá-la sua intenção foi a de "contar uma história" com a narração do próprio protagonista do filme.

Efe

13 de abril de 2011 | 16h10

"Todos os documentários podem contar com a opinião do protagonista principal, mas este não era o caso", explicou Kapadia.

O britânico agradeceu a honestidade dos pilotos, principalmente a de Ayrton Senna e a de Alain Prost "pela sinceridade de ambos, pela amostra que deixaram de sua rivalidade".

"Sua vida estava quase completamente gravada, pelas televisões do Brasil e do Japão. Sem televisão, não há Fórmula 1", destacou, em referência à quantidade de imagens que tinha à sua disposição.

O diretor ainda falou sobre a responsabilidade que tinha com o povo brasileiro. "Eu tinha essa responsabilidade com os brasileiros, porque são muito fãs de Senna e de Fórmula 1", reconheceu.

Kapadia disse que tinha um comprometimento com o Brasil e que poderia ter falado pior de Alain Prost. "Algumas pessoas pensam que fomos duros com Alain Prost, mas o filme se chama Senna e fizemos com uma bandeira brasileira sob o braço. Poderíamos ter mostrado coisas piores do francês", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.