Diretor técnico que trabalhou com Ayrton Senna deixa cargo na Williams

Aos 63 anos, Pat Symonds não revelou o seu futuro

Estadão Conteúdo

20 de dezembro de 2016 | 15h30

Com amplo histórico na Fórmula 1, o diretor técnico Pat Symonds deixará suas funções na Williams no fim do mês. Symonds, de 63 anos, não revelou o seu futuro. Na F-1, ele trabalhou com Ayrton Senna na Toleman, na década de 80, e com o alemão Michael Schumacher na Benetton, nos anos 90.

Ele chegou à Williams em 2013 e ajudou a equipe britânica a se recuperar no Mundial de Construtores, trocando o 9º daquele ano pelo 3º lugar, obtido em 2014. No Mundial de Construtores, cada posição galgada na tabela vale milhões de euros em premiação ao time.

"A contratação de Pat foi o início de uma grande reestruturação e ele foi fundamental na remodelagem da Williams, que se tornou uma equipe muito mais forte hoje em dia", declarou a chefe de equipe Claire Williams.

Claire manteve o mistério quanto ao substituto de Symonds. "Agora nós estamos olhando para a frente e em breve vamos anunciar os detalhes sobre o novo chefe do departamento técnico", afirmou a dirigente.

Um dos mais cotados para assumir as funções de Symonds é Paddy Lowe, que exerce o mesmo cargo na poderosa Mercedes. Lowe é considerado um dos maiores responsáveis pelo domínio da equipe nos últimos anos, com títulos do inglês Lewis Hamilton e do alemão Nico Rosberg, neste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.