Diretor tenta explicar erro no GP Brasil

Para o suíço Jean Campiche, diretor da Tag-Heuer, empresa responsável pela cronometragem da Fórmula 1, não existe nenhuma dúvida: o erro pela indicação errada do vencedor do GP do Brasil foi da direção de prova e não do serviço de cronometragem. "O diretor de prova (Charlie Whiting) nos solicitou a classificação da corrida na 53ª volta e nós a demos", afirmou nesta quinta-feira no circuito Enzo e Dino Ferrari, onde nesta sexta-feira começam os treinos livres do GP de San Marino. "Acho que por causa do estresse dos vários acidentes ocorridos, eles pediram a colocação dos pilotos na volta equivocada."O técnico da Tag-Heuer lembrou que os computadores registraram, por cerca de 20 segundos, depois de a corrida ser interrompida, a classificação da 54ª volta, por estarem programados para oferecer o resultado de duas voltas antes da exposição da bandeira vermelha, como manda o regulamento. Só depois surgiu na tela a colocação da volta 55ª, a última a ser concluída pelo líder, Giancarlo Fisichella, da Jordan.Por acreditar que a corrida estava na 55ª volta e não na 56ª, como era o caso, a direção de prova solicitou à equipe de cronometragem a ordem dos pilotos na 53ª volta, duas antes da exposição da bandeira vermelha. Mas na realidade, o GP do Brasil estava na 56ª volta e valeria para efeito de resultado a colocação na 54ª volta, duas antes da paralisação, conforme indicava o computador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.