Koji Sasahara/AP
Koji Sasahara/AP

Dirigente coloca futuro da Toyota na Fórmula 1 em dúvida

Tadashi Yamashina, chefe da equipe japonesa, avisa que a decisão depende de resultados financeiros

AE-AP, Agência Estado

30 de setembro de 2009 | 09h28

 TÓQUIO - Depois de Honda e BMW, a Toyota pode se a próxima montadora a anunciar sua saída da Fórmula 1. Ainda sob os efeitos da crise financeira mundial, a empresa fala em reavaliar seu projeto na principal categoria do automobilismo, o que muito provavelmente significaria o fim da equipe.

Veja também:

F-1 2009 - tabela Classificação | especialCalendário

especialESPECIAL - Jogue o Desafio dos Pilotos

blog BLOG DO LIVIO - Leia mais sobre a F-1

"Nós continuaremos participando, por enquanto. Mas temos de considerar uma série de coisas com relação a nossos negócios globais. Nossa situação ainda é incerta, depende de nossos resultados financeiros", disse Tadashi Yamashina, chefe da equipe, ao jornal japonês Yomiuri.

A Toyota está na Fórmula 1 desde 2002 e assinou o Pacto de Concórdia, documento que assegura seu comprometimento com a categoria até 2012.

Ainda sem vitórias ou títulos, a montadora parece disposta a romper o acordo. Afinal, a Toyota é a equipe de maior orçamento entre as que disputam o Mundial, o que vai contra a tendência de enxugamento de gastos da fábrica. "Precisamos melhorar nosso custo-benefício na Fórmula 1", admitiu Yamashina.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1ToyotaTadashi Yamashina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.