Wong Maye-E/AP
Wong Maye-E/AP

Dirigentes de Cingapura não temem efeitos de escândalo

Vitória de Fernando Alonso na pista em 2008 foi manchada com a denúncia de que a Renault cometeu fraude

AE, Agencia Estado

18 de setembro de 2009 | 10h52

CINGAPURA - A polêmica envolvendo o comportamento da Renault no GP de Cingapura de 2008 não deve afetar o evento deste ano, de acordo com dirigentes locais. A segunda prova no país será disputada no dia 27 deste mês, e os organizadores estão otimista no sucesso da 14.ª etapa do Mundial.

Veja também:

especialENTENDA - O escândalo Nelsinho-Briatore

linkPiquet alertou no ano passado, diz jornal

F-1 2009 - tabela Classificação | especialCalendário

especialESPECIAL - jogue o Desafio dos Pilotos

blog BLOG DO LIVIO - Leia mais sobre a F-1

"Pelo que entendi, o problema da prova do ano passado foi a estratégia de uma das equipes. Não houve comentários negativos sobre o autódromo ou o local da prova em si", disse o ministro S. Iswaran.

A prova de 2008 foi a primeira corrida noturna da Fórmula 1, e terminou com vitória de Fernando Alonso. O resultado, o entanto, foi manchado recentemente, depois que Nelsinho Piquet denunciou que bateu propositadamente para ajudar na estratégia do companheiro.

Tranquilos quanto à repercussão do escândalo, os organizadores se preocupam agora com a nuvem de fumaça que se espalha pelo país, devido a incêndios florestais. O presidente da associação de automobilismo de Cingapura, Tan Teng Lip, admitiu que, na pior das hipóteses, o problema pode afetar as atividades de pilotos e equipes durante o fim de semana.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Renault

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.