Dispensados não serviam para Red Bull, diz Toro Rosso

O chefe da Toro Rosso defendeu nesta quinta-feira a decisão da equipe de reformular a sua dupla de pilotos para a temporada 2012 da Fórmula 1, com as dispensas do espanhol Jaime Alguersuari e do suíço Sebastien Buemi, e a efetivação do francês Jean-Éric Vergne e o australiano Daniel Ricciardo. De acordo com Franz Tost, a decisão de trocar os pilotos foi tomada porque os titulares de 2011 não demonstraram capacidade para se tornarem pilotos da Red Bull - a Toro Rosso é uma equipe satélite da atual bicampeã do Mundial de Construtores.

AE, Agência Estado

16 de fevereiro de 2012 | 13h18

"Quando falamos sobre o ''a coisa certa'' para a Red Bull Racing, estamos falando de um time campeão mundial duas vezes, o que significa que os pilotos devem ter a capacidade de ganhar corridas e campeonatos. E foi a partir dessa perspectiva que pensamos sobre Sebastien Buemi e Jaime Alguersuari. A Toro Rosso é uma equipe de novatos, e vamos para a temporada 2012 com dois novatos. Apoio inteiramente esta decisão", disse.

Tost espera que Vergne e Ricciardo apresentem em 2012 desempenho melhor do que Buemi e Alguersuari tiveram na temporada passada. A conquista de resultados expressivos pode render uma vaga na Red Bull no futuro, como já foi especulado em relação ao australiano, que poderia substituir o compatriota Mark Webber a partir de 2013.

"A conclusão foi que havia nutrido dois pilotos ao longo de três anos e que nós provavelmente tínhamos outros pilotos na Red Bull que também poderiam fazer um bom trabalho. Em cima disso, não tínhamos certeza se nossos pilotos atuais seriam realmente a coisa certa para a Red Bull Racing, por isso decidimos que Jean-Eric Vergne e Daniel Ricciardo deveriam ter sua chance", afirmou Tost.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.