Disputa quente entre Hamilton e Rosberg preocupa Mercedes

Toto Wolff, chefe da equipe, não esconde que a briga direta pelo título do Mundial de Pilotos pode atrapalhar nas próximas etapas

Estadão Conteúdo

11 de agosto de 2014 | 16h50

Em uma temporada fenomenal, a Mercedes lidera os dois campeonatos da Fórmula 1 até agora. No Mundial de Construtores, tem todas as condições de se sagrar campeão com algumas etapas de antecedência. E na disputa entre pilotos tem seus dois representantes no topo. Toda essa vantagem não acalma o chefe de equipe Toto Wolff. O motivo: a disputa cada vez mais quente entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg.

Os dois lideram o campeonato com certa folga, com vantagem de 11 pontos para Rosberg, mas o duelo direto pode atrapalhar a briga pelo título no Mundial de Pilotos, na avaliação de Wolff. "Eles são os dois pilares da performance do carro. Eles levam um ao outro a novos níveis de performance, a novas alturas, o que não acontece em detrimento do time", pondera, sem esconder a preocupação. 

"Mas, sim, o duelo está ficando cada vez mais quente", admite o dirigente. "Nós amamos correr, ainda que eu ganhe alguns cabelos brancos neste processo. Há muito mais nisso do que nossa agenda esportiva. Além de ser um esporte, há os fãs, a marca que representamos", diz Wolff, ao reconhecer o potencial destrutivo de uma briga interna na Mercedes.

"Eles sabem que há uma grande organização por trás deles. Isso está claro e ambos estão cientes disso. Isto é muito importante. Eles reconhecem as conquistas históricas da Mercedes-Benz no automobilismo", afirma o chefe de equipe. 

Mesmo preocupado, ele tenta ver o lado positivo da disputa. "Eu ainda estou cuidadosamente otimista. Acho que podemos chegar a uma situação em que somente os dois estarão brigando pelo título. Aí poderemos discutir se mantemos o nosso jeito de trabalhar", diz Wolff, sem indicar uma possível mudança na estratégia da equipe. Até agora nenhum dos dois, ao menos oficialmente, tem recebido preferência na disputa. "Mas não sei o que vai acontecer, nunca estive lá. Será um nova situação."

O duelo entre Hamilton e Rosberg já soma alguns capítulos desde o início da temporada. O inglês tem oscilado entre críticas e declarações de amizade ao companheiro enquanto o alemão tem evitado o confronto aberto. A disputa ganhou um tempero nas últimas corridas com o crescimento da Williams e a reação da Red Bull, através do australiano Daniel Ricciardo. 

Depois do recesso de verão na Europa, a Fórmula 1 terá seu retorno no dia 24 deste mês, no Circuito de Spa-Francorchamps, onde será disputada o GP da Bélgica.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.