Oliver Multhaup/AP
Oliver Multhaup/AP

Dobradinha Button-Barrichello na 1.ª fila do GP da Austrália

Novata Brawn domina treino e larga na frente; Massa é 6.º e Nelsinho apenas o 14.º no grid; Toyota é punida

Milton Pazzi Jr., estadao.com.br

28 de março de 2009 | 04h02

SÃO PAULO - A novata Brawn GP garantiu uma inédita dobradinha na largada do GP da Austrália de Fórmula 1, na abertura da temporada 2009. O inglês Jenson Button e o brasileiro Rubens Barrichello fizeram o primeiro e o segundo melhores tempos, respectivamente, no treino deste sábado, em Melbourne, e saem na frente para as 58 voltas da prova marcada para as 3 horas (de Brasília) deste domingo - com transmissão online do estadao.com.br.

Veja também:

linkBarrichello confia em briga pela vitória e no sucesso da Brawn

linkButton esbanja alegria com a pole; Vettel não esconde surpresa

linkFelipe Massa teme domínio da Brawn GP na temporada 2009

linkMcLaren tem problemas e Hamilton larga quase em último     

linkAlonso e Nelsinho, com problemas, sonham com melhorias

som PODCAST: Livio Oricchio analisa o grid e as chances

linkFIA estudará caso de difusores em 14 de abril

especialESPECIAL: Conheça os pilotos e equipes da F-1 2009

especialConfira o calendário (com horários) da temporada

video TV ESTADÃO: O que esperar do começo da disputa?

especialEspecial: jogue o Desafio dos Pilotos

Parece surpresa, mas o desempenho da equipe que assumiu o lugar da Honda neste último treino só confirma a ótima fase da equipe, que andou muito bem nos testes pré-temporada que participou (apenas os últimos). O domínio da Brawn GP na pista sobre os rivais é evidente. Fez o melhor tempo na primeira sessão (1min25s006) e na segunda sessão (1min24s783), ambos com Barrichello, e também o segundo tempo, ambos com Button. Somente na terceira e decisiva sessão a situação se inverteu.

A dobradinha da equipe inglesa quebra um jejum de 39 anos sem uma equipe estreante nas primeiras posições. A anterior havia sido em 1970, com a extinta March e Jackie Stewart e Chris Amon, no GP da África do Sul. Essa será também a primeira vez após 38 corridas que a F-1 terá uma primeira fila sem um carro de Ferrari ou McLaren. Além disso, Jenson Button encerra um jejum de três anos sem uma pole. Antes disso garantiu o primeiro lugar pela Honda em 2006, na mesma Austrália. E esta é a quarta pole position do inglês em sua carreira na F-1.

Já para Rubens Barrichello a marca a ser comemorada é voltar a ocupar a primeira fila depois de três anos. A anterior havia sido em 2006, ainda na Ferrari, quando conquistou a pole position do GP do Brasil.

Ao lado da novata equipe inglesa, aparecem a Red Bull, com Sebastian Vettel (3.º) e Robert Kubica, da BMW (4.º). O treino deste sábado marca uma inversão histórica no grid em relação aos últimos anos. A Ferrari, de Felipe Massa, campeã mundial de construtores do ano passado, ficou para trás: ele larga em 6.º, com o finlandês Kimi Raikkonen logo atrás, em sétimo. Os dois foram beneficiados com a desclassificação da Toyota, de Jarno Trulli (então sexto) e Timo Glock (então nono), que tinha elementos móveis em sua asa traseira, o que é irregular.

PROBLEMAS

O campeão mundial Lewis Hamilton, para quem achava que a McLaren estava escondendo o jogo, teve muitas dificuldades com seu MP4-24. Escapou por pouco da eliminação na primeira sessão (foi o 15.º) e, aparentemente com problemas de câmbio, sequer entrou na pista para marcar tempo. Como teve de trocar a caixa, larga atrás no grid, em 18.º. Seu companheiro Heikki Kovalainen é o 12.º.

ERA O QUE DAVA

Nelsinho Piquet não conseguiu fazer seu carro render e ficou com a 14.ª posição, sendo eliminado logo na primeira etapa da classificação - foi beneficiado com as punições e melhorou o lugar no grid. "Durante todo o fim de semana tivemos problemas de acerto no carro e isso é o melhor que pudemos fazer", diz o piloto da Renault. Fernando Alonso sai na 10.ª posição.

 FÓRMULA 1 2009 - GP DA AUSTRÁLIA

 GRID DE LARGADA

 1.º - Jenson Button (ING/Brawn GP), 1min26s202

 2.º - Rubens Barrichello (BRA/Brawn GP), 1min26s505

 3.º - Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), 1min26s830

 4.º - Robert Kubica (POL/BMW Sauber), 1min26s914

 5.º - Nico Rosberg (ALE/Williams), 1min26s973

 6.º - Felipe Massa (BRA/Ferrari), 1min27s033

 7.º - Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari), 1min27s163 

 8.º - Mark Webber (AUS/Red Bull), 1min27s246

 9.º - Nick Heidfeld (ALE/BMW Sauber), 1min25s504

 10.º - Fernando Alonso (ESP/Renault), 1min25s605

 11.º - Kazuki Nakajima (JAP/Williams), 1min25s607

 12.º - Heikki Kovalainen (FIN/McLaren), 1min25s726 

 13.º - Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), 1min26s503

 14.º - Nelsinho Piquet (BRA/Renault), 1min26s598

 15.º - Giancarlo Fisichella (ITA/Force India), 1min26s677

 16.º - Adrian Sutil (ALE/Force India), 1min26s742

 17.º - Sebastien Bourdais (FRA/Toro Rosso), 1min26s964

 18.º - Lewis Hamilton (ING/McLaren), sem tempo**

 19.º - Timo Glock (ALE/Toyota), sem tempo*

 20.º - Jarno Trulli (ITA/Toyota), sem tempo*

* Punidos com a perda de posição por irregularidades no carro / ** Punido por trocar equipamento. 

CORRIDA: domingo (29/3), às 3 horas (de Brasília) - 58 voltas

Atualizado às 9h43 para acréscimo de informação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.