Robert Pratta/Reuters
Robert Pratta/Reuters

Dobradinha da Brawn foi excepcional, diz Button

Atual líder do Mundial de Pilotos admite que ganhar o GP de Mônaco é diferente dos demais

24 de maio de 2009 | 15h08

MONTECARLO - O inglês Jenson Button, vencedor do Grande Prêmio de Mônaco de Fórmula 1, expressou sua satisfação com a dobradinha da BrawnGP, que também levou o brasileiro Rubens Barrichello - segundo colocado - ao pódio. "Esta vitória significa muito e a dobradinha da Brawn foi excepcional. Uma grande vitória para nós, a melhor da temporada", disse.

Veja também:

link Button vence a quinta em dobradinha da Brawn em Mônaco

"Antes deste fim de semana, falei que esta corrida não significava mais que as outras, mas foi só uma forma de evitar a pressão. Todos sabem que vencer em Mônaco é fantástico, este circuito é diferente", acrescentou. 

O  triunfo manteve o inglês na liderança do Mundial de Pilotos, com 51 pontos. Rubinho aparece em segundo, com 35. Button disse que seu início de prova foi tranquilo, e só teve problemas com o habitual tráfego do circuito de rua de Montecarlo.

"Larguei e tinha a pista livre à minha frente. Atrás, Rubens enfrentou problemas com seus pneus traseiros, e pude abrir uma boa diferença. O restante não foi diferente do habitual. Tive que encarar o tráfego e as coisas normais de Mônaco, onde os muros parecem estar cada vez mais perto à medida que passa a corrida", explicou.

Após cruzar a linha de chegada, Button protagonizou um incidente inusitado. Ao invés de levar seu carro a um local próximo ao pódio, o piloto foi para o parque fechado.

Alertado sobre o erro, o inglês correu de capacete por 500m pela reta dos boxes, e foi saudado pelo público. O líder do campeonato brincou ao comentar o incidente.

"Não sou muito bom estacionando. A prova foi muito difícil, mas ao correr de capacete, me dei conta de como a reta era longa. De qualquer forma, foi um final perfeito de corrida", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Jenson Button

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.