Donos de equipes garantem a Cart em 2004

A Cart está salva. A continuidade foi garantida nesta quarta-feira pela Corte de Falências de Indianápolis, que determinou a vitória do grupo Open Wheel Racing Series (OWRS) na batalha para ficar com o espólio da categoria. O outro interessado era a Indy Racing League (IRL), que se vencesse adotaria uma política que, na prática, levaria a Cart, que tem os brasileiros Emerson Fittipaldi e Gil de Ferran entre os seus campeões, à dissolução. Com a vitória do OWRS, formado por donos de equipes, o campeonato deste ano deverá começar em 18 de abril, em Long Beach, e terá 15 corridas.Para a sobrevivência da Cart - que no ano passado teve prejuízo estimado em US$ 100 milhões - foi fundamental a posição dos credores. Eles se mostraram favoráveis à proposta do OWRS (US$ 3,26 milhões pelo espólio, mais a promessa de pagar os credores e os prêmios de 2003), mesmo depois que a IRL de Tony George chegou a oferecer US$ 13,2 milhões.O problema é que George só se interessaria por 5 GPs, entre eles os de Vancouver e Long Beach (ambos de rua), e no seu campeonato não teria lugar para a maioria dos times da Cart. A IRL até hoje só fez corridas em pistas ovais e seus dirigentes não mostram nenhum entusiasmo por outro tipo de circuito. ?Agora, vamos pegar nossos carros e correr?, disse Kelvin Kalhoven, um dos donos da PK Racing, e sócio da OWRS. "Nós somos o melhor para a categoria?.Entre os brasileiros que competem na Cart - cujo nome oficial e do campeonato será mudado - estão Bruno Junqueira e Mário Haberfeld. Além disso, Emerson Fittipaldi é dono de time. Em 2003 ele comandou a Fittipaldi-Dingman e atualmente negocia a compra da Patrick Racing.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.