Ecclestone ansioso pela paz na F-1

Bernie Ecclestone, promotor da Fórmula 1, quer a paz de volta à categoria antes do início do Mundial, no fim de semana, na Austrália. Ecclestone, bastante criticado pelas mudanças introduzidas no regulamento da competição, quer, também rever o Pacto da Concórdia, conjunto de regras que rege a F-1. Ocorre que as principais escuderias, como Williams e McLaren, apelaram ao painel de arbitragem da Federação Internacional de Automobilismo contra as novas regras e, ao lado das cinco maiores montadoras - Renault, Jaguar, Ferrari, BMW e Mercedes -, planejam ter um campeonato próprio a partir de 2007, quando termina a validade do Pacto da Concórdia. Equipes e montadoras querem receber mais do que 47% dos direitos de TV, como está estabelecido no Pacto."Precisamos achar um jeito de negociar um novo acordo", disse Ecclestone. "O que as montadoras querem é assumir o controle da F-1 sem um tostão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.