Hélvio Romero/AE - 16/10/2009
Hélvio Romero/AE - 16/10/2009

Ecclestone diz não ter dúvidas da permanência da Renault

Chefe da F-1 afirma que a equipe precisa competir; ele também defende Jean Todt para presidência da FIA

EFE,

17 de outubro de 2009 | 09h45

PARIS - O chefão da Fórmula 1, o inglês Bernie Ecclestone, além de defender a candidatura do francês Jean Todt para a Presidência da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), está convencido de que a Renault continuará na categoria apesar da sanção que recebeu.

 

Veja também:

F-1 2009 - tabela Classificação | especialCalendário

especialESPECIAL - Jogue o Desafio dos Pilotos

blog BLOG DO LIVIO - Leia mais sobre a F-1

blog SPF1 - Leia mais no blog do GP do Brasil

 

Em entrevista ao jornal francês Le Parisien, Ecclestone disse não entender "todos esses rumores" sem fundamento sobre a possível saída da Renault da F-1.

 

"Não há nenhuma dúvida" de que a escuderia permanecerá na categoria, declarou o inglês, que anunciou que se reunirá com o presidente da Renault neste fim de semana.

 

Quanto à disputa pela Presidência da FIA, o chefão da F-1 reafirmou sua preferência por Todt e disse que o principal adversário do francês, o finlandês Ari Vatanen, tem muita "boa vontade, mas não as competências necessárias".

 

"Conheço Jean Todt há anos. É extremamente confiável, aplicado e digno de confiança. Suas conquistas falam por ele. É, de longe, o mais qualificado para o posto", disse.

 

O inglês também criticou o fato de o antigo diretor da Renault, o italiano Flavio Briatore, ter sido banido da F-1. Para o chefão da categoria, a punição foge da realidade, já que, segundo disse, nem mesmo os assassinos são condenados mais à prisão perpétua.

 

Em outro trecho da entrevista, Ecclestone minimizou a possibilidade de os escândalos da atual temporada prejudicarem a competição. Segundo o dirigente, tudo o que aconteceu não é diferente do que acontece na vida.

 

Além disso, "no esporte, sempre é preciso um mínimo de polêmica para satisfazer as pessoas. Os espectadores não acompanham uma temporada muito insossa. Já se sabe que ninguém fala dos casamentos felizes, mas dos divórcios", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.