Gero Breloer/AP
Gero Breloer/AP

Ecclestone diz não ver razão para pânico na Fórmula 1

'A primeira corrida com o novo regulamento vai sempre ser uma curva de aprendizado para todos'

AE, Agência Estado

16 de março de 2010 | 10h02

As críticas de pilotos e chefes de equipes ao GP do Bahrein, que teve poucas ultrapassagens e foi monótono, não afetaram Bernie Ecclestone, detentor dos direitos comerciais da Fórmula 1. Para o dirigente, não há necessidade de mudanças imediatas nas regras da categoria, que proibiu o reabastecimento a partir desata temporada.

Veja também:

\"especial\" CALENDÁRIO - Todas as etapas de 2010

mais imagens GALERIA - Mais imagens da corrida

blog LIVIO - F-1, viagens e tecnologia

"Não há pânico, não há crise na F-1. Eu acho que não há nada que possamos fazer de imediato e não devemos nos dobrar para mudanças. Estamos envolvidos em quatro corridas longe, então vamos ver como as equipes se adaptam e olhar isso novamente depois da China", afirmou, avisando que qualquer alteração no regulamento da Fórmula 1 só ocorrerá após a quarta etapa da categoria, que será disputada no dia 18 de abril.

Desdenhando das reclamações, Ecclestone disse considerar natural a dificuldade das equipes de se adaptarem ao novo regulamento. "A primeira corrida com o novo regulamento vai sempre ser uma curva de aprendizado para todos eles. Agora eles sabem que podem fazer melhorias e ser um pouco mais ousados e que terão mais ação", comentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Fórmula 1Bernie EcclestoneFIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.