Ecclestone volta a negar venda da F1

Empresa CVC, parceira do dirigente, diz ter recebido proposta para negociar a categoria

AE-AP, Agência Estado

08 de maio de 2011 | 12h02

ISTAMBUL - Chefão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone está "100%" seguro de que o maior acionista da categoria não deseja vender sua participação a Rupert Murdoch. A CVC Capital Partners, que possui os direitos da Fórmula 1 desde 2006, disse nesta semana que havia recebido propostas da empresa de Murdoch, News Corp., sobre uma potencial oferta conjunta de aquisição com os principais investidores da Ferrari, a equipe mais antiga do esporte.

A gigante da mídia e a empresa de investimento italiano Exor disse que eles estavam à procura de parceiros para financiar uma possível oferta. Mas Ecclestone insistiu que a venda não será realizada. "Eles são os maiores acionistas e não querem vender. Isso é 100% seguro", disse Ecclestone. "Alguém poderia dizer que eles querem, mas isso não significa que quando alguém quer comprar o proprietário quer vender. E CVC deixou bem claro que não quer vender".

Os rumores aumentaram com relatos não confirmados de que Red Bull, Mercedes, McLaren e Ferrari vão se reunir com as partes interessadas na próxima semana na Alemanha. "Eu pensei que a Ferrari não teria necessidade de ir, porque uma das pessoas que espera ser um investidor é um proprietário da Ferrari, assim, a história soa estranha", disse Ecclestone.

"Você tem que ter muito cuidado com os rumores, mas rumores fazem parte da Fórmula 1 e sempre foi assim", reclamou. "Espero que estas pessoas recuperem o juízo. As equipes devem estar satisfeitas de que a CVC não vai vender para as pessoas erradas", disse Ecclestone.

Veja também:

link Vettel vence na Turquia e dispara na Fórmula 1

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.