Em Bahrein, um Schumacher incansável

Logo depois de encerrada a corrida de Sepang, dia 21, o irlandês Eddie Jordan, sócio da Jordan, afirmou: "Rubens Barrichello também tinha uma Ferrari e classificou-se em quarto. O que desejo dizer é que, quem está fazendo a diferença é Michael Schumacher."O alemão venceu com facilidade as duas primeiras etapas do campeonato, Austrália e Malásia, desmentindo todas as histórias de estar desestimulado, apesar dos seis títulos mundiais. É esta vontade de vencer que não cessa que o piloto alemão levará para Bahrein, no fim de semana, na estréia do Oriente Médio no calendário da Fórmula-1.É provável que os árabes não se interessem tanto - afinal tudo é novidade para eles na Fórmula 1 - pela impressionante competência de Schumacher que, apesar dos 35 anos de idade, 196 GPs disputados, 72 vitórias, 57 pole positions, 57 melhores voltas e 1.058 pontos somados, continua, mais do que nunca, interessado em ser o primeiro. Mas, enganam-se os que acreditam que essas estatísticas têm algum significado maior para Schumacher. "Não corram pensando nos números. Quem sabe, um dia, quando eu estiver em casa, com meus filhos, eles possam ter algum valor maior", afirma o piloto da Ferrari.Semana passada, enquanto, incansavelmente, trabalhava em Mugello, a imprensa italiana questionou Schumacher sobre como via sua superioridade na Fórmula-1, enquanto todos esperavam que este ano as coisas seriam mais difíceis para ele e sua equipe. "O que vocês querem que eu faça, acelere menos para dar maior emoção ao campeonato?" Foi sua resposta. Já sexta-feira, no primeiro treino do GP de Bahrein, em Manama, todos na Fórmula 1 já sabem: será uma surpresa se Schumacher não for o mais veloz.As características dos 5.411 metros do traçado do moderno autódromo de Bahrein, por conta do asfalto novo e pouco aderente, em princípio, sugerem que, mais uma vez, o alemão pode ser o primeiro. A Bridgestone, fornecedora de pneus da Ferrari, em geral, desenvolve pneus que melhor se adaptam a essas condições que a Michelin, marca dos pneus da Williams, Renault e da McLaren.Figa - Mas são os treinos que irão oferecer mais dados a respeito do que ocorrerá na terceira etapa da temporada, que os promotores do mundial torcem como nunca para que Schumacher e a Ferrari não ganhem outra, colocando em xeque o interesse do restante do campeonato. Schumacher é o líder com 20 pontos, seguido por Rubinho (13) e Juan Pablo Montoya, Williams (12). Entre as escuderias, a Ferrari, com 33 pontos, já tem larga margem sobre sua primeira adversária, a Williams, com 17.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.