Em dia de festa, Barrichello reclama de corrida monota

Completando 257 GPs, brasileiro diz que desempenho da Honda não permitiu brigar por posições

Redação

11 de maio de 2008 | 16h10

Na corrida em que bateu o recorde de participações na Fórmula 1, Rubens Barrichello não teve muito o que comemorar ao final do GP da Turquia deste domingo. Em sua 257.ª prova, o brasileiro da Honda terminou em um decepcionante 14.º lugar e continua sem pontuar em 2008.  Veja também: Classificação - Pilotos e construtores Massa vence pela terceira vez seguida o GP da Turquia  A terceira vitória de Massa no GP da TurquiaBarrichello: 257 GPs e 15 anos de história"Nossa corrida foi frustrante", confirmou ele. "Infelizmente não tínhamos ritmo para competir e, em termos gerais, estou desapontado com o desempenho do carro. Tive problemas de saída de frente e tráfego em meu primeiro trecho da prova, por isso paramos mais cedo, para tentar fazer com que eu saísse com algum espaço. A partir daí foi uma corrida monótona até o fim da prova. Temos muito trabalho a fazer durante os próximos testes, para tentar encontrar algum ritmo."  A Honda agora vai para Paul Ricard (França), para uma sessão intensa de testes antes da próxima prova do calendário, o GP de Mônaco, dia 25 de maio. "Teremos alguns componentes muito interessantes, visualmente, para Mônaco, o circuito que mais tem exigido pressão aerodinâmica até agora", declarou o chefe da equipe, Ross Brawn.  "No entanto, não esperamos que Mônaco seja a pista que mais vá exigir pressão aerodinâmica no ano: nossos cálculos mostram que Cingapura exigirá ainda mais. Montreal está no extremo oposto, pois lá a exigência é ter velocidade em linha reta", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.