Em Interlagos, Bottas admite crise com Kimi Raikkonen: 'Nunca mais nos falamos'

Os dois finlandeses da Fórmula 1 não têm se dado bem. Kimi Raikkonen, da Ferrari, e Valtteri Bottas, da Williams, disputam o quarto lugar na temporada e se envolveram em duas batidas nas três últimas corridas, acidentes que fizeram Bottas evitar pensar no assunto e até mesmo a falar com o compatriota. O piloto afirmou nesta quinta-feira em Interlagos que nem pretende voltar a conversar com Kimi.

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

12 de novembro de 2015 | 20h01

No GP da Rússia, em outubro, Bottas estava na última volta e ia terminar em terceiro quando recebeu o toque de Kimi e saiu da prova. Duas corridas depois, em Hermanos Rodríguez, no México, houve o troco. Era o começo da prova quando o piloto da Williams encostou no concorrente do Ferrari e lhe tirou da disputa. "Nunca mais nos falamos, mas não temos problemas entre nós", comentou Bottas ao ser perguntado sobre o convívio entre ambos.

Aos 26 anos, Bottas chegou à categoria em 2012 cercado de comparações ao compatriota 10 anos mais velho. O novato se tornou a aposta para suceder os feitos do campeão mundial de 2007 e depois das polêmicas nesta temporada, afirmou que procurou não acompanhar na Finlândia a repercussão dos incidentes. "Não procurei ver comentários ou ler matérias na imprensa. Acho que saiu muita m... Sei que Raikkonen tem muitos fãs em nosso país, mas também tenho muitos seguidores para me apoiar".

Para o piloto da Williams, não há a necessidade de se reunir com o colega para se conversar sobre as batidas ou buscar a reconciliação. "Para mim, estou resolvido com a situação", afirmou Bottas, que evitou dar declarações longas sobre o Kimi. Já o ferrarista, conhecido pelo jeito frio, pouco falou do assunto e minimizou ter de encontrar o compatriota rival na batalha pelo quarto lugar na temporada. "Isso não muda a minha vida. Sempre tento garantir o melhor resultado, mas só o primeiro lugar importa. Do resto, ninguém se lembra".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.