Em Interlagos, agitação antes da prova

Se há um mundo à parte no País, é Interlagos em dia de Grande Prêmio de Fórmula 1. Num apertado espaço atrás dos boxes, o paddock, um ministro de terno e gravata (Agnelo Queiroz, dos Esportes) divide espaço com cantores sertanejos (Zezé di Camargo e Luciano), que passam velozes,assediados pelas moças da limpeza. A mulher de um piloto (Connie, companheira de Juan Pablo Montoya) sai à caça de autógrafos para duas crianças colombianas contempladas em um concurso. O presidente da CPI dos Correios, senador Delcídio Amaral (PT-MS), passa ao lado de modelos que, aparentemente, não o reconhecem. Em mesas improvisadas ao ar livre, pilotos almoçam olhando para o céu carregado e imaginando como vai ser correr com chuva. Circulando, centenas de jornalistas, empresários, apresentadores de TV e muitos, muitos curiosos.Se Grande Prêmio é evento para ver e ser visto, a ex-atleta Maurren Maggi optou por ficar longe da agitação. Com a filha Sofia no colo, demonstrava preocupação com a possibilidade de chuva durante a corrida. ?Fico com medo que ele se machuque?, dizia sobre o marido, Antonio Pizzonia, piloto da Williams. ?Correr com chuva é bom só para quem larga na frente.?Mas a procupação dela durou pouco: Pizzonia bateu antes da primeira curva. Ao contrário de Maurren, a mulher de Juan Pablo Montoya, Connie, queria aparecer. Ela cercou piloto por piloto atrás de autógrafos e fotos para Paula Romero e Alejandro Paes, crianças que ganharam um concurso em Cartagena (COL) e, como prêmio, a viagem ao Brasil. ?Missão cumprida?, disse Connie, após pegar o último autógrafo.Nem em Interlagos o senador Delcídio Amaral (PT-MS) conseguiu ficar longe do assunto corrupção. Ele teve de dar sua opinião sobre o escândalo das arbitragens no futebol. E quem esperava pelo apoio a uma nova CPI ficou frustrado. ?Isso é vergonhoso. Só espero que não tirem pontos do meu São Paulo?, afirmou o político. Um telão em cima do boxe da Renault mostrava cenas do autódromo, bem em frente à arquibancada da torcida de Fernando Alonso. ?Estamos contigo, Alonso?, era a mensagem em uma das faixas. O tradicional ?Acelera, Rubinho? desta vez foi substituído por um ?Pedala, Rubinho? em outra faixa. E o piloto brasileiro, bem-humorado, fez sinal de positivo em cima do caminhão no tradicional desfile dos pilotos, uma hora e meia antes da largada. Enquanto isso, o ministro Agnelo Queiroz ouvia uma explicação de Otávio Mesquita, apresentador da TV Bandeirantes e pilotode Stock Car e Porsche. ?Eu tinha dois sonhos?, disse Mesquita ao ministro. ?Ser piloto de automóveis e apresentador de TV. Como apresentador sou mais ou menos. Como piloto, também. Juntando os dois, dá um...?A poucos minutos da largada, o público se levanta. A cantora Daniela Mercury canta o Hino Nacional. O GP do Brasil de Fórmula 1 vai começar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.